Concorrência já diminui preço do 4G nos EUA, Hong Kong e Noruega

Por Luciana Zaramela | 16.10.2012 às 16:24

Os preços dos planos de dados para redes 4G podem ser até 20% mais elevados que os de redes 3G, mas devido à grande concorrência entre operadoras, já é possível perceber uma redução competitiva dos preços e tarifas relacionados à nova rede, de acordo com uma pesquisa realizada pela ABI Research. Saiu no MIS Asia.

"Na Coreia do Sul, a SK telecom reduziu o preço dos planos de 4G para se manter competitiva. Seu 'Plano LTE 62' para smartphones custava aproximadamente US$ 55,04 (cerca de R$ 111) por 3 GB de dados, mas a quota de downloads mensais aumentou para 5 GB. A ABI Research encontrou cotas de dados móveis 4G e/ou revisões de tarifas similares também na Noruega, em Hong Kong e nos Estados Unidos", disse Jake Saunders, vice-presidente de previsões de mercado da ABI Research.

De acordo com a comparação feita entre os países por preços e tarifas da rede 4G, a ABI Research descobriu que o plano de dados mais barato está em oferta pela CSL Hong Kong, que lançou seu serviço 4G ainda em Novembro de 2011.

"A tecnologia 4G ofereceu às operadoras não apenas excelentes velocidades de download, mas também uma maior capacidade. Portanto, existe um grau de elasticidade nos preços", acrescentou Marina Lu, pesquisadora da ABI Research. "Enquanto os dispositivos 4G sofrem quedas nos preços, as operadoras estarão dispostas a aumentar a quota do market-share da tecnologia 4G. Cortar tarifas ou incrementar quotas de dados serão atividades tentadoras, mas as operadoras precisam ter certeza de que alcançam maiores retornos gerais".

Enquanto isso, as tarifas de voz também estão se beneficiando da nova tecnologia LTE. Várias operadoras estão lançando o serviço Voice over LTE (VoLTE), que funciona como o Voice over IP, porém no celular e com tecnologia 4G. A alta fidelidade oferecida pelo VoLTE poderia auxiliar a superar o declínio da tecnologia ARPU, também relacionada com voz. E o VoLTE não tem preço alto ou supervalorizado sobre o já existente circuito de serviços móveis.