China estuda a liberação de empresas privadas para oferecer serviços móveis

Por Redação | 09 de Janeiro de 2013 às 18h05

A China, considerada um dos maiores mercados móveis do mundo, afirmou nesta quarta-feira (9) que estuda planos para liberação de empresas ou grupos privados, a fim de fornecer serviços de telefonia móvel no território através da aquisição da banda larga de outras companhias. As informações são da Reuters.

Atualmente, o país asiático possui apenas três operadoras de telefonia móvel: a China Telecom, China Mobile e a China Unicom. Com a medida, o governo planeja incentivar e aumentar a concorrência na indústria das telecomunicações, fortemente controlada pelo Estado.

O Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação afirmou que irá consultar a população sobre a nova medida até o dia 6 de fevereiro, o que seria um passo importante para uma abertura do maior mercado de telefonia do mundo, com mais de 1 bilhão de assinantes de linhas móveis. Com um contrato inicial de dois anos, as empresas privadas poderiam oferecer seus próprios serviços diretamente aos consumidores e adquirir bandas. O governo acredita que isso fará com que a telefonia móvel melhore.

China telefonia móvel

O governo chinês acredita que com a abertura da concorrência, os serviços de telefonia devem melhorar

A China também havia se comprometido a abrir gradualmente seu mercado de telefonia para investidores estrangeiros após sua entrada na Organização Mundial do Comércio (OMC), em 2001.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.