Brasil estuda aumentar exigência de conteúdo local no 4G para evitar espionagem

Por Redação | 16.07.2013 às 16:57

O governo brasileiro estuda aumentar as exigências de conteúdos locais durante o leilão da rede 4G na faixa de 700MHz após notícias que afirmam que o governo dos Estados Unidos estaria espionando as ligações dos brasileiros, como revela fonte próxima às conversas sobre o leilão da frequência à agência Reuters.

Após as denúncias de espionagem, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e a Polícia Federal investigam o caso e o governo já começou a analisar novas medidas para aumentar a segurança dos brasileiros e das redes como, por exemplo, com o armazenamento em território nacional de dados dos usuários brasileiros de serviços na internet.

A fonte ainda informou que o Ministério das Comunicações, a Anatel e o Ministério da Ciência e Tecnologia irão conversar com membros da indústria para saber se é possível aumentar a segurança da rede com o aumento das exigências de dados locais para o leilão dos 700MHz, previsto para o começo do próximo ano. "Esse episódio reforça a importância de investir em tecnologia nacional", completou.

Em 2012, o leilão do 4G para a faixa de 2,5GHz estabeleceu que a exigência de conteúdo nacional seria gradativa, ou seja, 60% em 2014 e 70% entre 2017 e 2022, incluindo tecnologias brasileiras bem como equipamentos com fabricação nacional.