Apple, Facebook, Google e outras empresas estariam negociando compra de satélite

Por Redação | 17 de Março de 2015 às 12h15

Apple, Google, Facebook e Amazon podem estar prestes a explorar a indústria aeroespacial ao adquirir um satélite da Boeing, uma das mais renomadas empresas da indústria aeronáutica. A empresa está lançando um satélite de comunicações e, ao que tudo indica, a empreitada poderá contar com as gigantes da tecnologia como clientes. O objetivo delas é adquirir um dos satélites para fornecer serviços de internet.

Lendo notícias recentes, dá para imaginar mais ou menos o que cada uma das companhias pretende fazer caso o negócio vá adiante. Seja como for, a ideia seria lançar um satélite com capacidade de entregar petabytes de dados em alta velocidade nos próximos anos, criando um serviço de alta confiabilidade e usando uma tecnologia nova.

O problema, no entanto, ainda são os altos custos. Principalmente para as empresas de tecnologia citada, que ainda não operam serviços de telecomunicações e contam com parcerias quando precisam de algo assim, as altas somas necessárias para bancar a infraestrutura e manutenção de algo desse tipo pode acabar colocando tudo a perder. A própria Boeing sabe disso, mas ainda assim disse que as negociações estão avançando, sem falar em detalhes.

Sem uma base instalada, por exemplo, a adoção de um satélite para fornecimento de internet seria começar literalmente do zero, mas já com um gigantesco investimento. Para compensar esse custo, viriam as assinaturas de usuários, que precisam ter um preço aceitável não apenas para atrai-los, mas também de forma que seja competitivo. Um uso possível, por exemplo, seriam os projetos de levar a internet a locais remotos que vêm sendo tocados pelo Google e Facebook, mas o uso de um equipamento assim pode acabar sendo deixado de lado justamente devido aos gastos envolvidos.

Outra possibilidade é, simplesmente, o aumento na banda de serviços como a loja online da Amazon, a Apple App Store ou até mesmo o acesso à rede social de Mark Zuckerberg ou aos serviços da gigante das buscas. Da mesma forma, tudo isso envolve um alto custo em uma melhora em conexões e velocidade, que poderia ser resolvida pela otimização de data centers e abertura de novos centros de infraestrutura, alternativas bem mais baratas e viáveis.

E é esse o paradoxo pelo qual a própria Boeing admitiu estar passando no momento. Ainda assim, ela se mostrou confiante na continuidade das negociações e não mostrou preocupação com a concorrência, que também trabalha em iniciativas semelhantes.

A SpaceX, por exemplo, diz estar desenvolvendo uma solução de custo mais baixo para telecomunicações envolvendo mais de quatro mil satélites de baixa órbita. Um investimento recente, de US$ 1 bilhão, foi recebido como parte da empreitada de empresas de telecomunicações e tecnologia. Entre elas está o Google, que também participa diretamente da empreitada como parte de sua já citada iniciativa de aumentar a conectividade da população mundial e o alcance das redes.

Via Apple Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.