Soma dos tablets fabricados no mundo no início de 2016 é menor em relação a 2015

Por Redação | 28.04.2016 às 16:25
photo_camera Divulgação

A quantidade de tablets fabricados ao longo do primeiro trimestre de 2016 diminuiu em relação ao mesmo período do último ano. Ao todo, reunindo tablets convencionais e destacáveis, foram fabricados nos três primeiros meses deste ano 39,6 milhões de unidades, queda de 14,7% em relação aos 46,4 milhões fabricados entre janeiro e março de 2017. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (28) no relatório trimestral da International Data Corporation (IDC).

Apesar de ainda representar a maior fatia do mercado de tablets (87,6%), os dispositivos convencionais (apenas o aparelho em si, sem teclado) continuam em queda. Segundo a IDC, este tipo de dispositivo costuma estar associado a um produto mais simples, desencorajando as pessoas a gastarem mais por eles.

Destacáveis em alta

Por outro lado, a pesquisa ressalta o bom desempenho dos tablets destacáveis, que tiveram um crescimento de três dígitos mais uma vez em relação ao ano anterior, alcançando a marca de 4,9 milhões de unidades produzidas apenas neste início de ano, um recorde.

“De forma inteligente, a Microsoft criou o mercado de tablets destacáveis com o lançamento da linha de produtos Surface”, comenta o pesquisador analista sênior da IDC Jitesh Ubrani. “Com o declínio da indústria do PC, o mercado destacável se mantém como um benefício à medida que consumidores e empresas procuram repôr seus PCs mais velhos por destacáveis”, prossegue.

“A introdução dos destacáveis por empresas tradicionais de smartphones é apenas o começo e representa uma verdadeira ameaça aos tradicionais fabricantes de PC”, defende o diretor de pesquisas de tablets do IDC Jean Philippe Bouchard, destacando que a compreensão que essas empresas possuem do mercado mobile dá a elas uma grande vantagem na hora de integrar as experiências. “É provável de estas empresas de smartphones utilizarem o segmento destacável para criar novas experiências de usuário final na computação mobile”, conclui.

Ainda segundo os dados divulgados pela IDC, a empresa que mais fabricou tablets neste primeiro semestre foi a Apple, com 10,3 milhões unidades (25,9% do mercado). Em segundo lugar está a Samsung, com 6 milhões de unidades (15,2%), seguida da Amazon e da Lenovo, ambas com 2,2 milhões (5,7%), e da Huawei, na quinta colocação, com 2,1 milhões (5,2%)

Fonte: IDC