Mercado de tablets cai novamente no Brasil em 2016, diz IDC

Por Redação | 09 de Março de 2017 às 14h48
photo_camera Divulgação

Pelo segundo ano consecutivo, o mercado brasileiro de tablets teve queda, segundo levantamento divulgado pela consultoria IDC. Em 2016, foram vendidas aproximadamente 4 milhões de unidades, ou seja 32% a menos do que em 2015, quando foram comercializados cerca de 5,8 milhões de dispositivos.

Apesar da queda, entretanto, a IDC afirma que o pior já passou para o segmento, que estava registrando seguidas retrações em suas vendas trimestre a trimestre. Um indício disso diz respeito à qualidade dos aparelhos vendidos em 2016. Do total de tablets vendidos no ano passado, apenas 26,5 mil foram notebooks com telas destacáveis.

“Em 2016, passado o ‘boom’ de vendas de tablets, 80% do mercado ficou dominado por três empresas que resistiram ao período de crise e à canibalização destes dispositivos. Isso deixou o setor mais saudável e com produtos que oferecem melhor experiência de uso ao consumidor”, diz Wellington La Falce, analista de mercado da IDC Brasil.

Ainda de acordo com o estudo da IDC, os produtos colocados à venda em 2016 ficaram numa faixa de preço apenas 3% maior do que no ano anterior. “Em 2015, os tablets custavam, em média, R$ 500. No ano passado, os preços ficaram na faixa de R$ 513”, completa La Falce.

Entre outubro e dezembro de 2016, foram comercializados 1,2 milhões de unidades, ou seja, 17% a mais do que no terceiro trimestre de 2016 e 11% a menos do que no mesmo período de 2015.
“Como o tablet segue na lista de desejos do público infantil, o último trimestre de 2016 manteve o movimento aquecido dos anos anteriores por conta do Dia das Crianças, da Black Friday e

Para 2017, embora seja esperada novamente uma redução no número de vendas, a IDC Brasil estima que o mercado de tablets chegue à marca de 3,7 milhões de dispositivos vendidos, ou seja, apenas 7% a menos do que em 2016.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.