Mercado brasileiro de tablets encolhe 8% no primeiro trimestre de 2017

Por Sérgio Oliveira | 02 de Junho de 2017 às 12h14
photo_camera Divulgação

Todo mundo sabe que o mercado de tablets está em queda livre, e dados revelados pelo IDC Brazil Tablets Tracker mostram que o primeiro trimestre de 2017 deu sequência à derrocada do setor no Brasil, com uma queda de 8% nas vendas.

De acordo com o levantamento feito pela consultoria de mercado, ao todo foram comercializados 770 mil aparelhos desse tipo, frente a cerca de 837 mil unidades vendidas em relação ao mesmo período do ano passado. Apesar da redução, houve uma desaceleração na taxa de queda.

No primeiro trimestre de 2015 a redução nas vendas de tablets no Brasil foi de 20%, enquanto no primeiro trimestre do ano passado a comercialização caiu vertiginosos 53%. A expectativa, agora, é que o mercado se estabilize.

"No primeiro trimestre deste ano, notamos um mercado mais estabilizado, com empresas atendendo bem a demanda que existe no setor infantil, por exemplo", avaliou Wellington La Falce, analista de mercado da IDC. Além disso, ele culpou a alta do dólar pelas quedas sofridas nos últimos dois anos.

O relatório também divulgou que o mercado arrecadou R$ 370 milhões, montante 28% inferior ao mesmo trimestre de 2016. A taxa destoa do restante do relatório, mas é justificada pela nova estratégia adotada pelas empresas para catapultarem as vendas: diminuir os valores dos produtos neste primeiro trimestre, tradicionalmente fraco para o segmento.

"O tíquete médio dos tablets no primeiro trimestre de 2016 era de R$ 615 e, em 2017, passo para R$ 485", apontou La Falce.

Mesmo assim, a previsão da IDC é que o mercado de tablets comercialize um total de 3,7 milhões de aparelhos e feche o ano com déficit de apenas 7% em relação a 2016.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.