Apple Pencil não substituirá navegação com a ponta dos dedos, explica designer

Por Redação | 18 de Novembro de 2015 às 10h40
photo_camera Divulgação/Apple

Além de sua tela maior, uma das principais novidades do iPad Pro e que deixou muita gente empolgada foi a Apple Pencil, o lápis que promete dar um novo sentido à velha canetinha digital. Apesar de seu preço nada convidativo, o acessório chamou muito a atenção do público durante seu evento de anúncio, principalmente pela precisão e pelas possibilidades oferecidas. No entanto, será que ele pode representar um retorno desse tipo de periférico?

Bem, segundo um dos principais designers da empresa, a resposta é não. De acordo com Jony Ive, a ideia da empresa não é abandonar o controle por toques e nem deixar a ponta dos dedos em segundo plano para trazer de volta as stylus. Para ele, tratam-se de ferramentas diferentes para funções específicas, o que faz com que o usuário tenha mais opções na hora de executar uma ação e, acima de tudo, que possa realizar cada uma delas com o máximo de precisão e praticidade.

Ive explica que o conceito da Pencil foi imaginado para fazer marcações, ou seja, atividades que exigem algo mais cuidadoso e preciso. Ao mesmo tempo, a navegação feita pela ponta dos dedos continua sendo o cerne e o foco do iOS, visto que a interface continua valorizando essa simplicidade — e isso é algo que a companhia não pretende abandonar. Assim, para o designer, são objetivos diferentes e, por conta disso, os usuários não precisam se preocupar com uma possível mudança de rumo por parte da Apple.

Apple Pencil

Ele complementa dizendo que as vantagens trazidas por um sistema baseado em multitoque são várias, mas isso não quer dizer que tudo precise depender dos toques das suas mãos para funcionar e que, em alguns casos, contar com a ajuda de algumas ferramentas podem tornar o trabalho bem mais simples. A partir disso, o designer conta que a Apple percebeu que muitas pessoas realmente queriam algum tipo de instrumento que as ajudasse a pintar ou desenhar na tela do tablet com mais eficiência do que era feito com os dedos. Mais do que isso, Ive diz que a empresa viu que a demanda por algo assim era enorme e, por isso, decidiu investir em uma ideia como a Apple Pencil.

E o próprio nome surgiu para atender essa necessidade e sem assustar o público ou criar uma ideia errada. Ele explica que o nome “stylus" remete a algo tecnológico e a fabricante não queria trazer essa imagem para seu produto, optando por algo mais simples e direto como “pencil”. Afinal, se a ideia é mostrar às pessoas que elas podem desenhar, anotar e fazer várias ações do gênero com o novo acessório, que nome melhor para ele do que “lápis”? Só é uma pena que o preço não seja nada condizente com o título escolhido.

Via: Mac Rumors, The Telegraph, Wallpaper

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.