Análise: Tablet Qbex TX420i: barato, mas longe do baixo custo

Por Pedro Cipoli

O Qbex TX420i é um tablet, no mínimo, extremamente interessante. Ainda que se trate de um produto de entrada, eles nos surpreendeu tanto pela qualidade da construção, que não dá a impressão de ser "barata", quando pelo fato de ele vir com o Windows 8.1 x86, que permite ao usuário instalar qualquer programa que já utiliza no PC. Vamos conhecê-lo em detalhes agora.

Design

Um ponto que não podemos negar é que o TX420i tem um excelente aproveitamento de tela, sendo ideal para segurar com uma das mãos e utilizar com a outra, ou mesmo digitar segurando com as duas mãos. Esse é um ponto que nos surpreendeu, considerando tanto a faixa de preços dele quanto o fato de ele trazer o Windows 8.1, que necessita das bordas para alternar entre apps e para ativar a Charms Bar.

Em relação ao design, ele nos pareceu um aparelho Lumia gigante das linhas mais simples, não trazendo nada de revolucionário, além de um ponto que o denuncia como um aparelho básico: todas as conexões juntas com nomes indicativos. Na parte de cima temos um microfone, entrada para cartões microSD, conector para fones de ouvido, saída micro HDMI e conexão micro USB, com os botões de controle (volume e Power) localizados na parte direita.

O que nos chamou a atenção aqui é que, por se tratar de um tablet de entrada (raros são os modelos com Windows com preço menor), a construção nos pareceu acima da média. O TX420i não passa a sensação de ser “barato”, como é comum nessa faixa de preços (mesmo para modelos com Android), sendo um quesito que nos deixou bastante satisfeitos.

Tela

Novamente ressaltamos a faixa de preços aqui. Mesmo entre os modelos Android mais baratos, é difícil encontrar um modelo que traga uma tela IPS de 8 polegadas com resolução de 1280x800 com a qualidade do TX420i. É uma tela sensacional? Não. As cores são um pouco “lavadas”, com baixos níveis de saturação, e, mesmo se tratando de um painel IPS, a reflexibilidade é altíssima, caso semelhante ao que acontece com o Sony Xperia E4.

Porém, a densidade de pixels está acima da média para um tablet de R$ 400 e poucos reais, sendo possível abrir dois programas ao mesmo tempo sem comprometer a experiência de uso. Por vezes nos pegamos lendo textos no TX420i e nesse ponto ele atende muito bem (quer dizer, desde que você fique longe de um ponto de luz). Só sentimos falta aqui de uma proteção contra riscos e arranhões, mas esse é um ponto raro de encontrar nesse segmento.

Desempenho

O Qbex TX420i roda o Windows 8.1 em toda a sua glória (ou fracasso), sendo a versão x86, e não ARM, como nos modelos equipados com o (finado) Windows RT. Como a AMD tem uma parcela praticamente invisível de mercado em tablets, é natural esperar um processador Intel. No caso, temos um Atom Z3735G quad-core 1,33 GHz (Turbo Boost até 1,83 GHz, sem Hyperthreading e 2 MB de cache L2).

Ainda que a linha Atom da Intel tenha ficado com uma má fama que a persegue desde as primeiras gerações de netbooks, o desempenho é até surpreendentemente bom, com potência de sobra para lidar com tarefas leves, como navegar na internet e escrever textos. É claro que editar fotos e rodar games não é o propósito aqui, já que não foi um chip projetado para isso, e ele só tem 1 GB de memória RAM (máximo suportado pelo chip).

Começamos a sentir lentidão somente quando abrimos várias abas no Chrome, o que acontece mais pela limitação de memória RAM do que propriamente pelo desempenho do processador. Para testar a GPU, o único game que usamos foi o Sonic Dash, que rodou sem lags. O tablet ainda suportou vídeos no YouTube na resolução nativa da tela sem engasgos, ou mesmo um jogo ou outro no Kongragate, o que mostra uma boa versatilidade dos gráficos Intel HD Bay Trail (quatro unidades de execução rodando a até 646 MHz).

É possível transformar o TX420i em um “PC” (e dá-lhe aspas!) com consumo energético ridiculamente baixo, e de fato fizemos isso. Basta usar a saída HDMI e um teclado Bluetooth (um kit de teclado e mouse seria o mais indicado, mas não tínhamos um disponível) e transformá-lo em uma máquina de torrents, ou mesmo uma estação de trabalho somente para escrever textos e outras tarefas leves.

Infelizmente, ele só vem com 16 GB de armazenamento interno, que se transformam em 9 GB com o sistema de recuperação e depois em 5 GB com os apps e módulos do Windows. Quem se interessar por ele vai ter que se acostumar a armazenar dados no cartão microSD ou de forma online no OneDrive, ao estilo Chromebook. Mas, bom, você não estava esperando a experiência padrão de um notebook em um tablet de entrada, né?

Para encerrar esse item, vale mencionar um problema que não tem nada a ver com a Qbex ou com a Intel. O Windows 8 e 8.1 tentou mesclar a experiência de um PC e de um tablet em uma única interface, e a verdade é que a Microsoft não conseguiu fazer nenhum dos dois. Em especial na área desktop, é difícil ser produtivo sem um teclado físico, o que pode (ou não) ser resolvido quando a Microsoft liberar o Windows 10 oficialmente. É esperar e rezar.

Câmera

Tablets não são famosos pela qualidade de câmera. Afinal, qual foi a última faz que você viu alguém fazendo questão de levar um tablet para tirar fotos ao invés de um smartphone ou uma câmera de verdade? Esse é o caso aqui, com a câmera traseira do TX420i sendo suficiente para ver o conteúdo da imagem. Nada muito além disso. Ela tem 2 megapixels e não vem com flash, além de utilizar o software de câmera do Windows, que está a anos-luz dos presentes no Android, Windows Phone, iOS e até mesmo do BlackBerry.

A câmera frontal, com incrível 0,3 megapixel, em teoria serviria para tirar selfies ou para usar durante videoconferências. Acreditem, ela não faz nenhum dos dois.

Bateria, extras e áudio

Por mais que a Microsoft melhore a versão desktop do Windows, dificilmente chegará ao nível de otimização energética dos sistemas criados especificamente para tablets e smartphones, não importa o nível de eficiência da série Atom, que aqui consome 2,2 Watts em carga total. Com uma bateria de 3500 mAh, pequena para as 8 polegadas de tela, conseguimos cerca de 4 horas de uso com o Wi-Fi ligado em tarefas diárias, e menos de 3 horas com uso pesado.

Querendo ou não, o TX420i é um notebook em uma embalagem de tablet, trazendo somente o Wi-Fi B, G e N e o Bluetooth como conectividade, sem a lista gigante de extras comum em smartphones e tablets com Android. Nada de NFC, GPS, infravermelho, 3G/4G... nada, mas nada de estranho nisso, já que estamos falando de um sistema desktop, o que também acontece com o conteúdo da embalagem, que só traz o carregador, cabo OTG e o cabo micro USB.

Para fechar, temos o áudio. A qualidade de som é mediana em volumes mais baixos, mas colocá-lo no máximo é transformar o ambiente em uma casa mal-assombrada, já que a qualidade cai e muito. Nos fones de ouvido a qualidade melhora bastante, e mesmo que não seja possível alcançar volumes muito altos (mesmo em fones de baixa impedância), a experiência foi excelente para a categoria.

Conclusão

O preço sugerido do Qbex tx420i é de R$ 499, valor surpreendentemente baixo para um tablet com o Windows 8.1 x86 pré-instalado, considerando que licença cobrada pela Microsoft, mesmo para fabricantes, é bem cara. Ele cumpre ao que se propõe: ser um tablet básico a um preço baixo com possibilidade de instalar qualquer programa que você usaria no seu PC, trazendo lá suas falhas, o que não tira o mérito de ser uma das opções mais acessíveis — senão a mais acessível — com o Windows 8.1.

Não encontramos nenhum ponto sobre o qual esperaríamos mais dele, que tem um desempenho até acima do esperado pelo preço e tela com boa resolução. É claro que pelo menos 32 GB de armazenamento interno seria um ponto extremamente bem-vindo, assim como um par de câmeras melhores, mas, considerando o preço oficial, é difícil implicar demais com esses dois problemas.

Vantagens

  • Boa velocidade e responsividade;
  • Tela de qualidade, considerando o segmento;
  • Boa qualidade de construção.

Desvantagens

  • Câmeras de baixa resolução;
  • Bateria longe de oferecer a autonomia dos Androids e iPads;
  • 16 GB de memória interna.