Análise: Galaxy Tab Active, o tablet corporativo da Samsung

Por Pedro Cipoli

Ainda que a expressão “tablet corporativo” seja estranha de escrever (e falar), essa é a intenção da Samsung com o Galaxy Tab Active. Como veremos, ele é, basicamente, um Galaxy Tab 4 com proteção extra e certificação de compatibilidade com diversos sistemas, além de, claro, trazer ferramentas próprias de segurança da Samsung. Será que ele vale a pena? Vamos ver nas próximas linhas.

Construção

Aqui temos um dos principais pontos de destaque do Tab Active, junto com as certificações de segurança. Ao contrário do que acontece no mercado consumer, o mercado corporativo não está ligando tanto para a aparência ou quantos milímetros de espessura há num tablet, mas sim que ele tenha qualidade suficiente para aguentar um ritmo mais pesado de trabalho. O mesmo acontece com notebooks empresariais.

No caso, temos uma construção reforçada com plástico, em especial nas bordas, pensada especificamente para aguentar as pancadas típicas que um tablet sofre. Junto com a capa de proteção, inclusa na embalagem, a Samsung garante que ele aguenta quedas de até 1,2 metros sem problemas. De fato, ele aguentou uma boa quantidade de maus-tratos em nossos testes, alguns sem querer, outros propositais.

Mesmo com a proteção extra, ele não chega a ser tão espesso (9,75 milímetros) nem pesado (393 gramas), sem a capa de proteção. Mais do que proteger de pancadas, o Tab Active pode ficar submerso por até 30 minutos com segurança graças à sua certificação IP67, que também garante resistência contra poeira. “Lavamos” o gadget em uma bacia para verificar essa proteção, e ele continuou funcionando (quer dizer, pelo menos até a data de devolução para a Samsung).

Samsung Galaxy Tab Active -  Screenshots

Samsung Galaxy Tab Active -  Screenshots

Samsung Galaxy Tab Active -  Screenshots

Ou seja, no quesito proteção extra ele se saiu muito bem, cumprindo o propósito a que foi destinado. Isso faz dele um companheiro ideal para quem pretende utilizá-lo em ambientes pouco amigáveis para eletrônicos, como indústrias pesadas e trabalhos de campo. E tem algo que a Samsung garante: ele vai funcionar dentro de temperaturas entre – 20ºC e + 60ºC.

Tela

Produtos corporativos geralmente não se destacam por trazer telas de última geração, e o Tab Active não é uma exceção. Temos aqui exatamente a mesma tela do Galaxy Tab 4, com 8 polegadas e resolução de 800x1280, sendo baixa para os padrões atuais. Até mesmo a tecnologia é a mesma, não sendo AMOLED, nem IPS, nem nada: apenas um display TFT padrão, sem muito o que destacar aqui.

Ainda assim, considerando a má fama que telas TFTs alcançaram no mercado, em especial devido aos modelos de baixo custo, vale dizer que a qualidade é melhor do que esperávamos, com cores dentro do esperado, assim como taxas de contraste e brilho máximo. Apenas ressaltamos o tipo de tecnologia pois é mesmo frustrante que um produto tão caro não traga uma resolução melhor, nem uma tecnologia mais avançada, como o Super AMOLED da própria Samsung.

Configuração

Outro ponto comum em modelos corporativos é a configuração “básica”, se comparado com modelos consumer na mesma faixa de preços. É bastante comum ver notebooks corporativos com processadores Intel Core i3 custando o mesmo que um modelo com Core i7 no mundo dos notebooks, já que o fabricante troca a configuração pela garantia de um ciclo maior de vida e um funcionamento mais frio. É o que temos aqui, já que a expressão "thermal throttling" não existe.

Samsung Galaxy Tab Active -  Screenshots

Samsung Galaxy Tab Active -  Screenshots

Samsung Galaxy Tab Active -  Screenshots

Novamente, é isso que acontece com o Tab Active. O chip que o equipa nada tem de especial, sendo o mesmo Snapdragon 400 que equipa o Galaxy Tab 4, com 4 núcleos rodando a 1,2 GHz, 1,5 GB de memória RAM e GPU Adreno 305. O desempenho final é bastante decente, algo que a baixa resolução de tela ajuda, sendo perfeitamente capaz de lidar com a maioria das tarefas que um usuário corporativo pretende realizar.

Não é uma configuração interessante para quem gosta de jogar no tablet, mas sem problemas até aí, já que quem está de olho em um Tab Active dificilmente está ligando para jogos, não é? A combinação de armazenamento é a mesma do Galaxy Tab 4: 16 GB de memória interna (dos quais 11,2 GB estão disponíveis para os dados do usuário), além do suporte para até 64 GB de expansão via cartão microSD.

Samsung Galaxy Tab Active -  Screenshots

Samsung Galaxy Tab Active -  Screenshots

Samsung Galaxy Tab Active -  Screenshots

O Android de fábrica é o 4.4.4 KitKat, algo que já esperávamos, já que a Samsung deve ter testado todas as ferramentas de segurança (como o KNOX) nesta versão, assim como as certificações de intercompatibilidade com aplicativos de terceiros. É o mesmo que acontece com notebooks, muitos deles ainda equipados com o Windows 7, mais preocupados com compatibilidade do que oferecer a ultima versão de um sistema, que pode contar com bugs ainda não resolvidos.

Câmera

Quem busca um tablet corporativo não está preocupado com a qualidade de câmera, que é bastante baixa no Tab Active. Novamente, são exatamente as mesmas do Galaxy Tab 4 (traseira de 3,15 megapixels e frontal de 1,3 megapixel) sendo o suficiente para fotos casuais (esqueça os vídeos aqui, restritos a 720p com uma qualidade sofrível), onde a frontal se sai até razoavelmente bem em video conferências, o que é ótimo, já que é um bom uso para o mercado corporativo.

Samsung Galaxy Tab Active -  Fotos
Samsung Galaxy Tab Active -  Fotos
Samsung Galaxy Tab Active -  Fotos
Samsung Galaxy Tab Active -  Fotos
Samsung Galaxy Tab Active -  Fotos
Samsung Galaxy Tab Active -  Fotos

Há uma função que, apesar da baixa resolução da câmera traseira, pode ser bem interessante para empresas. Segundo a Samsung, ela é otimizada para ler QR Codes, algo que muitas empresas já adotam em sistemas de manutenção, por exemplo, em que uma etiqueta já dá todas as informações de determinado objeto. Isso combinado com o suporte a 4G LTE nativo do Tab Active pode fazer dele uma ferramenta poderosa.

Extras e bateria

Como dissemos, o Tab Active vem com suporte a 4G LTE em todos os padrões nacionais por padrão, além de trazer uma lista até bastante completa de conectividade:

  • Wi-Fi dual-band nos padrões A, B, G e N com suporte a roteador e Wifi Direct;
  • Bluetooth 4.0 LE com A2DP;
  • NFC;
  • GPS com A-GPS e GLONASS.

A capacidade de bateria é a mesma do Galaxy Tab 4, mas no modelo corporativo ela é removível, o que é bem vindo para o público alvo, que pode adquirir baterias extras e trocar conforme necessário, algo essencial para trabalhos de campo. Em nossos testes, conseguimos extrair até 11 horas de uso com a tela ligada (até 12 horas com brilho no mínimo e no modo avião), valor dentro do esperado para um tablet, além de várias semanas em stand-by.

Ferramentas corporativas

Ainda que pareça um tablet “normal”, não muito diferente de qualquer outro modelo da Samsung em especial por trazer a TouchWiz e alguns jogos pré-instalados (?), o Tab Active vem com o KNOX 2.0, solução de segurança da Samsung anunciada em 2013. O que ele faz é permitir que o usuário tenha um perfil pessoal, com jogos e apps comuns, e outro corporativo, com aplicativos empresariais, capacidade de controle remoto pela empresa e segurança reforçada. Sim, semelhante ao que a BlackBerry faz com o BB OS 10, só que no Android.

Além disso, a Samsung trabalhou com empresas para garantir compatibilidade do Tab Active com plataformas da Citrix (rede, virtualização e serviços de nuvem), SAP (cliente de CRM e gerenciamento de recursos). Há também a C-Pen, uma versão “gordinha” da S-Pen da linha Galaxy Note, dedicada a quem pretende trabalhar com anotações e já inclusa na embalagem.

Conclusão

Preços do mercado corporativo são resultado da combinação de 3 fatores: certificações de compatibilidade, qualidade superior de construção e, claro, uma margem de lucro maior. Juntando isso ao cenário econômico atual brasileiro, já que eletrônicos são altamente dolarizados, temos o preço sugerido para o Samsung Galaxy Tab Active de R$ 2.199. Alto, né?

Como comparação, é possível comprar um iPad Air 2 4G da Apple com aproximadamente o mesmo valor, mas essa não é uma comparação justa, já que o iPad não foi projetado para trabalhar nas condições de operação do Tab Active. Se você está em busca de um tablet para trabalho e que aguente condições extremas de uso, temos um dos poucos modelos disponíveis. Caso contrário, ele é um Galaxy Tab 4 para lá de resistente e com um preço bem salgado.

Vantagens

  • Realmente resistente, aguentando pancadas com maestria e com certificação IP67;
  • Bateria removível, ideal para longos ciclos de trabalho externo;
  • Ferramentas e certificações de segurança out-of-the-box, mirando no público corporativo;
  • Caneta C-Pen e capa de proteção inclusas na embalagem;
  • 4G LTE.

Desvantagens

  • Mesmo considerando todos os pontos positivos, o preço é bastante alto;
  • As câmeras poderiam ser melhores, em especial a frontal, para video conferências;
  • Difícil de ser encontrado no varejo, já que o foco da Samsung é vendê-lo via B2B.
Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.