Tablets com até 8 polegadas vêm perdendo espaço para phablets, aponta pesquisa

Por Redação | 10 de Julho de 2014 às 17h15

O mercado de tablets segue forte na sua empreitada para destronar os computadores e assumir seu lugar como principal gadget tecnológico entre os usuários. Amargando resultados negativos sucessivos há anos, os fabricantes de computadores já foram avisados de que os tablets tomarão o lugar ocupado há anos pelas robustas máquinas já no próximo ano.

Apesar disso, uma pesquisa divulgada pela NPD DisplaySearch nesta quarta-feira (09) aponta que o segmento de tablets com telas menores está sofrendo com o assédio dos chamados phablets, smartphones com telas mais avantajadas e que se assemelham com eles. De acordo com o relatório, pela primeira vez a quantidade de tablets repassados pelos fabricantes ao varejo caiu no primeiro trimestre de 2014.

"Isso ocorreu principalmente por causa da competitividade entre os dispositivos de 5,5 polegadas e smartphones mais avantajados com tablets de até 7,9 polegadas. A demanda por esse tipo de tablet deve acabar diminuindo até 2018", explicou Hisakazu Torii, um dos analistas responsáveis pelo levantamento. Ainda de acordo com o relatório publicado pela firma, a participação de mercado desse tipo de tablet começará a cair a partir deste ano e deve continuar nos anos seguintes após atingir um pico de 58 pontos percentuais em 2013.

Embora a pesquisa não aponte nenhuma marca ou modelo específico do gadget, sabe-se que o segmento em questão é dominado pelo iPad Mini da Apple, seguido dos modelos de 7 polegadas da linha Nexus 7 do Google e o Kindle Fire HDX 7 da Amazon.

O mais interessante aqui é notar que aparentemente a Apple previu o encolhimento do iPad Mini e supostamente lançará seu primeiro phablet com 5,5 polegadas neste ano. Apesar de ainda não ter confirmado nada, são grandes as chances da Maçã anunciá-lo entre setembro e dezembro deste ano para competir com as opções oferecidas pela sul-coreana Samsung, que atualmente possui o Galaxy Mega de 6,3 polegadas e o Galaxy Note com 5,7 polegadas.

Se os números continuarem caindo como a DisplaySearch prevê, a expectativa é que os fabricantes de componentes acabem migrando cada vez mais para as linhas de produção destinadas a tablets de tela maior, cujas vendas continuam crescendo a ritmo galopante.

Segundo o relatório, até 2018 as vendas desse tipo de tablet superarão as dos de tela menor. A situação também é bastante promissora para quem já vem investindo nos modelos com tela acima de 11 polegadas: "até 2018, eles serão responsáveis por mais de 10% do mercado", garantiu NPD.

Leia mais sobre a ascensão dos tablets e a derrocada dos computadores:

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.