Pesquisa: 73% de médias e grandes empresas brasileiras utilizam tablets

Por Redação | 03 de Novembro de 2014 às 18h32

Os tablets caíram como uma luva nos ambientes corporativos brasileiros. É o que indica um levantamento feito pela Harris Poll e publicado nesta segunda-feira (3) pela Dell: 73% das companhias brasileiras já utilizam o dispositivo móvel como parte de equipamentos individuais de trabalho, ao lado de desktops, notebooks e smartphones.

O estudo foi realizado junto a 1.245 gestores de Tecnologia da Informação (TI) em médias e grandes empresas de dez países: Brasil, África do Sul, Arábia Saudita, China, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos, França, Índia, Reino Unido e Rússia.

O Brasil aparece como o terceiro país que mais utiliza tablets em ambientes corporativos, empatado com Estados Unidos. As duas primeiras posições são ocupadas por China, com 82% e Emirados Árabes Unidos, com 74%.

“Esse levantamento confirma a percepção da Dell de que, cada vez mais, os profissionais vão demandar múltiplos equipamentos no ambiente de trabalho. As pessoas querem ter a possibilidade e a flexibilidade de escolher o dispositivo mais adequado para cada tarefa e situação”, afirma Luis Gonçalves, Diretor-Geral da Dell Brasil.

Metade das empresas brasileiras consultadas permite que seus funcionários tragam seus próprios equipamentos de casa para o ambiente de trabalho, com a conhecida política BYOD (Bring Your Own Device, ou "Traga Seu Próprio Dispositivo"). As áreas que mais utilizam os tablets são os departamentos de TI (79%), executivos (59%), vendas e marketing (58%) e administrativo (55%).

Para 90% dos profissionais de TI brasileiros consultados no estudo, o uso de tablets aumentou a produtividade dos profissionais, na maioria dos casos, em mais de 25%. Quanto às demandas de negócio, para 66% dos entrevistados no país a implementação desses equipamentos atendeu às expectativas da empresa, enquanto que para 34% excedeu os resultados esperados. Além disso, 67% já estudam a ampliação no número de tablets disponíveis para a força de trabalho.

A grande maioria dos entrevistados, 85%, acredita que os tablets complementam a utilização de notebooks e desktops, enquanto 77% creem que eles são complementares aos smartphones. Na comparação com os computadores tradicionais, 61% consideram que os tablets são melhores em termos de mobilidade, 53% pela facilidade de uso, 51% pelo custo de propriedade ao longo da vida útil, 47% pela adaptabilidade e 45% pela conectividade.

Entre os aspectos negativos, 35% criticam o poder e a velocidade de processamento e 46% a capacidade de armazenamento. Aliás, os profissionais de TI brasileira acreditam, segundo o estudo, que as limitações de memória interna sejam justamente a grande barreira para maior utilização em ambiente corporativo. A maioria dos países associa uma adesão menor aos tablets no trabalho devido a questões de segurança.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.