Uber nega boato sobre fim do preço dinâmico

Por Redação | 03 de Maio de 2016 às 16h42
photo_camera Divulgação

Na manhã desta terça-feira (03), foi divulgada a possibilidade do Uber deixar de usar o preço dinâmico em seu serviços. A taxa é cobrada sobre o valor básico da tarifa quando há poucos veículos disponíveis. No entanto, a informação foi negada pela empresa.

O preço dinâmico beneficia os motoristas com comissões mais altas em momentos de pico, além de beneficiar a empresa ao atrair mais motoristas para áreas com escassez de veículos, aumentando a oferta de serviço. "O Uber está sempre procurando por maneiras melhores de prever e atender as necessidades de uma cidade. Não temos nenhum plano de encerrar o preço dinâmico. Ainda que ninguém goste de pagar mais pelo mesmo trajeto, é a única maneira de garantir que os passageiros consigam se locomover quando precisarem", explica o representante da empresa para o site TechCrunch.

Embora a cobrança extra continue a existir, ela deve melhorar. Segundo a equipe de engenharia do Uber, o método de cálculo é feito por meio de machine learning, ou aprendizado de máquina, um algoritmo que prevê a demanda de motoristas em determinadas áreas e que se aprimora com o tempo.

Atualmente, os motoristas do Uber são freelancers, sem nenhum vínculo empregatício com a empresa. Isso faz com que muitos deles optem por trabalhar nos momentos de pico, justamente para aproveitar as taxas extras. Do outro lado, os clientes têm demonstrado insatisfação com a flutuação constante de preços, embora continuem usufruindo do serviço. O Uber está avaliando possíveis soluções, como deixar que os motoristas recebam gorjetas, mas por enquanto o sistema continua com o preço dinâmico.

Via Tech Crunch

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.