Startup que aluga goleiros pela internet recebe aporte no Shark Tank

Por Redação | 02.01.2017 às 17:32
photo_camera Divulgação

O Futebol é o esporte mais praticado no mundo. Quem é que não gosta de bater uma bolinha com os amigos? O difícil é escalar um goleiro. Para suprir esse problema, uma startup paulista criou a Goleiro de Aluguel, plataforma em que times amadores e de "final de semana" alugam goleiros para jogar em seus times. Em dezembro, a startup conseguiu um aporte de US$ 250 mil no reality show Shark Tank, do canal Sony.

A companhia criou um app no qual goleiros amadores oferecem seus serviços para grupos que precisam completar seu time com algum goleiro. O serviço online gerencia e agenda estes compromissos para os goleiros, que são pagos via plataforma e a empresa recebe um percentual do valor recebido.

Os fundadores Samuel Toaldo, 33 anos, e Eugen Braun, 28 anos, começaram sua apresentação aos “tubarões” pedindo R$ 250 mil por 10% de seu negócio. O pitch foi avaliado pelos cinco apresentadores do programa.

No decorrer do pitch, alguns “tubarões” como Robinson Shiba, fundador da rede de restaurantes China In Box e o também cantor Sorocaba desistiram da negociação.

Mas o foco, segundo os próprios sócios era claro. Eles queriam ser investidos por Carlos Wizard, fundador de uma das maiores cadeias de escolas de ensino no país e empreendedor em negócios esportivos. Entretanto, à primeira vista Carlos também optou por sair da negociação.
João Apolinário, fundador da Polishop, por sua vez, propôs o aporte de R$ 250 mil, mas por 50% da empresa.

Nesse momento, Samuel e Eugen pediram 2 minutos – tempo de avaliação permitido - para conversarem com seu mentor Bruno Medeiros para avaliarem rapidamente a viabilidade. No retorno a negociação, os sócios ousaram e pediram a entrada de Carlos no negócio, mesmo com sua negativa inicial.

“Nosso objetivo inicial era conseguir um acordo com o Carlos Wizard, para abrir o mercado nacional da Goleiro de Aluguel. Ele é dono de empresas ligadas ao esporte como a Ronaldo Academy, em parceria com o Ronaldo Fenômeno, Topper e Rainha. Entendemos que o negócio dele tem grande sinergia com o nosso e por isso queríamos muito a entrada dele junto com o João”, comenta Eugen Braun, COO da Goleiro de Aluguel.

Na volta, os empreendedores propuseram um aporte de R$ 300.000 por 40% de participação, sendo 20% para João e 20% para Carlos. Nesse momento, Carlos trouxe outra opção: R$ 250.000 por 50%, mas com 25% de participação para ele e os outros 25% para João. Dessa vez, tubarões e empreendedores se entenderam e o acordo foi firmado.

Depois de conseguir emplacar o investimento, a startup já faz planos para 2017, mirando um crescimento em canais on-line e off-line, mantendo um crescimento de 25% por mês durante o primeiro semestre de 2017.

"Queremos fechar o ano com mais de 30 mil partidas realizadas em todo país. Com os tubarões tudo será mais rápido e fácil, além de já estarem surgindo novas propostas, baseadas em nosso modelo de negócio. Somos goleiros mas marcamos um gol de placa” completa Samuel.