Startup fecha do dia para a noite e demite 400 funcionários por e-mail

Por Redação | 12 de Agosto de 2015 às 10h18
photo_camera Divulgação

Cerca de 18 meses após iniciar suas operações, a startup de assistentes online Zirtual anunciou temporariamente o encerramento de seus negócios e demitiu todos os funcionários por e-mail, de um dia para o outro (do dia 9 para o dia 10 de agosto).

As mensagens foram direcionadas aos profissionais na madrugada de domingo para segunda-feira e apenas dizia que a empresa estava "pausando as operações". As páginas da companhia no Twitter, Facebook, Google+ e outras redes sociais também foram deletadas repentinamente e, ao acessar o site oficial, o usuário se depara com um aviso sobre o fim da plataforma e um pedido de desculpas da entidade.

Segundo a Zirtual, a decisão de encerrar os trabalhos foi forçada devido "a várias circunstâncias desaforáveis do mercado e restrições financeiras" que resultaram em uma necessidade de reestruturação. Em mensagem enviada aos usuários do serviço, a empresa diz que agradece "de coração pelo suporte prestado à Zirtual" e pede "sinceras desculpas por um anúncio tão rápido e inconveniente".

Especula-se que o fechamento da companhia se deu porque ela nunca modificou o preço de sua plataforma, mesmo após o crescimento repentino. Outro ponto que pode ter prejudicado a empresa é que, em depoimento ao site Business Insiders, alguns ex-funcionários disseram que a Zirtual inflou o número de contratações nos últimos 18 meses: das quase 150 pessoas que trabalhavam lá, esse número saltou para 400 até a última segunda-feira (10), quando todos foram demitidos.

Além disso, nos últimos dois meses, o trabalho de alguns dos assistentes virtuais havia sido reduzido, mas muitos dos empregados acreditavam que era por causa das férias. Outros disseram que havia ainda uma proposta de aumento de salário mínimo para cada trabalhador, além do lançamento de um novo produto. "Estávamos muito confusos sobre o motivo do trabalho ter reduzido. Não estávamos tendo cancelamentos de clientes e nunca soubemos que havia algo para nos preocuparmos", comentou uma das ex-funcionárias.

Usuários manifestaram sua indignação nas redes sociais. "É sério eu ter acabado de receber um e-mail da Zirtual dizendo que eles estão encerrando as operações DUAS SEMANAS APÓS FECHAR NEGÓCIO COM ELES?? O que está acontecendo?", escreveu Peter Shankman. Já Steph Newton, ex-funcionária da companhia, disse estar sentindo uma sensação estranha de não trabalhar mais lá. "Agora: dar os próximos passos", afirmou, se referindo ao fechamento da entidade.

Um detalhe é que a Zirtual conseguiu recentemente levar US$ 5,5 milhões em investimentos, então ainda não está claro o que teria levado exatamente ao fechamento da empresa. O que se sabe é que, mesmo com a rodada de investimentos, a companhia acumulou dívidas que não conseguiu pagar. A própria CEO da entidade, Maren Kate Donovan, chegou a comentar na semana passada durante um programa de novas startups que seu modelo de negócio era "completamente insustentável", mas que ela e sua equipe estavam avaliando algumas oportunidades.

Curiosamente, Donovan afirmou há três semanas, numa entrevista à revista Forbes, que os chefes precisam ter transparência com seus funcionários sobre qualquer mudança na empresa. "Aquilo que meus empregados não sabem podem prejudicar os negócios como um todo. Quanto mais cedo sua equipe souber sobre as próximas mudanças na companhia, melhor para ela", disse a executiva, que não foi encontrada para comentar sobre o fim das operações da Zirtual.

Em nota ao site The Next Web, um porta-voz da startup alegou que o tal período de transição é apenas o primeiro passo para uma mudança maior, mas que a empresa não pode revelar mais detalhes neste momento.

Fontes: Business Insider, The Next Web, Fortune

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.