Startup alagoana quer transformar seu troco em dinheiro virtual

Por Rafael Romer | 09 de Abril de 2015 às 09h19
photo_camera Rafael Romer/Canaltech

Cansado de ouvir que o caixa não tem moedas para completar seu troco após uma compra? Pois uma startup alagoana quer transformar a infame balinha de troco em dinheiro de verdade - ou, pelo menos, dinheiro virtual.

Um dos selecionados para o espaço de inovação da Autocom 2015, a ideia por traz do aplicativo Piggo é bem simples: facilitar trocos e outros tipos de micropagamentos transformando-os em uma transação virtual através de crédito na conta do consumidor dentro do app.

Para utilizar o sistema, basta que o vendedor e o consumidor tenham o app. Do lado do lojista, o cadastro necessita que algum crédito seja colocado na conta para ser utilizado durante as transferências. Para o consumidor, no entanto, basta o número do celular e CPF.

Após a compra, se o consumidor dispensar o troco em dinheiro vivo, o vendedor pode creditar o valor devido na conta Piggo do usuário, que vai acumulando todos os trocados recebidos em sua conta - como em um cofrinho.

"Ele não elimina a obrigação do vendedor de ter o troco em dinheiro", explica o cofundador da empresa, Bruno Peixoto. "Mas a gente trabalha para o sistema ser mais prático, mais cômodo, mais seguro e mais útil que receber moeda. Porque moeda você não tem onde guardar, você perde, ou deixa para lá. Com o Piggo não tem esse problema".

Conforme o valor aumenta, o usuário pode utilizá-lo de diferentes maneiras: o crédito na conta Piggo pode gerar um token que pode ser utilizado para pagar compras em estabelecimentos que usam o sitema. Além disso, o valor pode ser depositado da conta do Piggo para a conta bancária, ser utilizado para carregar créditos em celulares Claro, Vivo, Tim ou Oi, ser utilizado em transferências para amigos e até como doação para instituições de caridade.

Criada em agosto do ano passado e acelerada no programa Startup Brasil, a plataforma só foi lançado no mercado em dezembro, após a legislação que regulamenta meios de pagamento móveis ter sido aprovada pelo Banco Central.

Atualmente, a maior base do Piggo está na cidade de origem do aplicativo, Maceió. Do total de 8 mil usuários ativos, 2 mil estão na capital alagoana. No Brasil todo, já são 250 estabelecimentos que fazem transações com o Piggo - só em Alagoas são 80.

Por ora, o aplicativo está disponível apenas para Android, mas versões para o iOS e Windows Phone deverão sair em breve.

Piggo

Página inicial do Piggo na versão para consumidores (foto: Rafael Romer/Canaltech)

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.