"Pense Grande", da Telefônica Vivo, seleciona 15 projetos para incubação

Por Redação | 25.04.2016 às 22:10
photo_camera Divulgação

A Fundação Telefônica Vivo anunciou nesta segunda-feira (25) os 15 microempreendedores que farão parte de seu programa de inovação social, o Pense Grande. Os selecionados terão aporte financeiro, além de apoio pessoal e técnico.

O Pense Grande é um projeto que tem como objetivo empoderar jovens de áreas periféricas para que se tornem agentes transformadores de suas realidades com atitude e protagonismo, fortalecendo assim o ecossistema do empreendedorismo social no Brasil. Uma das principais estratégias é a formação de jovens em tecnologia e empreendedorismo para o desenvolvimento de projetos de vida, auxiliando em suas comunidades, além de ajudar a prototipar soluções e estruturar planos de negócios.

Nesta nova fase, os microempreendimentos em tecnologia digital, que visam solucionar alguma necessidade da comunidade em que estão inseridos, passarão pelo processo de incubação. Os participantes receberão auxílio no desenvolvimento de suas iniciativas via assessoria online e presencial, capacitação em temas de gestão, ações que viabilizem a geração de autoconhecimento e competências empreendedoras, além de apoio de um mentor (empreendedor com experiência) durante o período de seis meses.

Do total de iniciativas escolhidas, oito delas estão na região Sudeste, sendo três em Minas Gerais, três no Rio de Janeiro e duas em São Paulo. Outras quatro estão no Nordeste, sendo duas em Pernambuco, uma no Ceará e uma Bahia, e mais três projetos são do Norte do país, todas no estado do Pará.

Os microempreendimentos escolhidos abrangem diversos ramos de atividade, seja por meio de aplicativos, plataformas digitais e lojas online. Entre as ideias está o Doador Online, um banco de sangue virtual que visa conectar doadores, bancos de sangue e pacientes para agilizar a captação de novos voluntários. Há também o GPSA (Sistema Global de Posicionamento Acessível), cuja missão é proporcionar ao deficiente visual mais independência em relação à mobilidade urbana.

Dois empreendimentos vão concentrar esforços nas áreas de sustentabilidade e resíduos sólidos: o Greenbaby, voltado para a adoção de árvores na Amazônia, e o Vale Sem Silício, que pretende mapear o lixo eletrônico existente no Vale do Jequitinhonha e, ao mesmo tempo, promover investimentos na região, uma vez que o descarte e o consumo estão intimamente ligados.

Há ainda um projeto chamado Pelos Social, que tem como objetivo retirar cães que estão em situação de abandono nas ruas.

Do total de iniciativas escolhidas, oito delas estão na região Sudeste, sendo três em Minas Gerais, três no Rio de Janeiro e duas em São Paulo. Outras quatro estão no Nordeste, sendo duas em Pernambuco, uma no Ceará e uma Bahia, e mais três projetos são do Norte do país, todas no estado do Pará.

"Essa fase é muito importante, pois os selecionados terão a oportunidade de realizar seus trabalhos contando com todo o apoio de gestão técnica para o desenvolvimento dos empreendedores. É neste momento que a Fundação Telefônica Vivo atua no investimento financeiro às iniciativas", destacou Luiz Guggenberger, gerente de Inovação Social e Voluntariado da Fundação Telefônica Vivo.