Nubank recebe US$ 150 milhões em nova rodada de investimentos

Por Felipe Demartini | 01 de Março de 2018 às 12h35

O Nubank anunciou a realização de mais uma rodada de investimentos que, desta vez, levantou mais US$ 150 milhões para a companhia. O dinheiro será utilizado na expansão de serviços e aceleração da transformação da fintech em um banco digital, além de garantir que seu valor total de mercado ultrapasse o US$ 1 bilhão.

Esta é a sexta rodada de investimentos da companhia, que segue o caminho de outras startups brasileiras e se torna um “unicórnio” – nome dado às empresas cujo valor avaliado ultrapassa o primeiro bilhão. O novo aporte foi liberado pelo fundo de investimentos DST Global, de capital russo e que também tem participação em empresas como Facebook, Alibaba, Groupon, Xiaomi e Zynga.

Apesar disso, de acordo com David Vélez, fundador e presidente executivo do Nubank, o controle da empresa continua nas mãos dos sete sócios originais. Segundo ele, a companhia já gera caixa e trabalha no lançamento de novos produtos, sendo o principal deles o lançamento de serviços bancários convencionais, mas não vinculados ao funcionamento tradicional desse sistema no Brasil.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Seu principal produto, os famosos cartões de crédito “roxinhos”, também devem ganhar um incremento com a nova rodada de capital. Com mais dinheiro, o Nubank se torna menos vulnerável à inadimplência de seus clientes. A situação de crise econômica e a baixa no poder de compra dos brasileiros levou a empresa a, nos últimos anos, adotar uma política mais conservadora em relação à emissão de plásticos e aumento nos limites dos clientes.

Mesmo assim, os números são consideráveis. Hoje, já são três milhões de cartões de crédito em operação, mas o número representa somente 20% dos mais de 13 milhões de pedidos que já foram feitos ao serviço. Entretanto, o grande destaque da estratégia atual é a NuConta, plataforma que ainda está nas mãos de poucos usuários e que aproxima a fintech de um banco tradicional, apesar de ainda contar com poucos recursos.

É aqui, entretanto, que está o foco de expansão da plataforma e, também, o principal motivo pelo qual o Nubank vem atraindo tanta atenção. No ano passado, a empresa também dobrou de tamanho, ultrapassando os 900 funcionários e intensificando o ritmo e contratações, principalmente no campo da tecnologia e análise de dados.

Diante do sucesso do Nubank, instituições bancárias tradicionais, como o Bradesco, também lançaram suas próprias soluções de cartões digitais. O sucesso de tais empreitadas ainda é pequeno em comparação com a fintech, que cresce a um ritmo de 10% ao mês, mas, ainda assim, essa tendência pode representar um desafio na manutenção destes números.

Fonte: Estadão

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.