Empresa dos EUA arrecada US$ 2,1 mi para criar app de venda de maconha

Por Redação | 06 de Abril de 2016 às 13h00

Quando se fala “Uber da maconha”, você talvez já imagine que o trabalho da Meadow seja levar a erva da cannabis de um lugar para outro. Atualmente, a companhia é um dos principais nomes do delivery de maconha medicinal nos Estados Unidos, mais uma cria do Vale do Silício que pretende expandir ainda mais o seu negócio e abraçar também o crescente e lucrativo mercado legalizado de marijuana para fins recreativos.

No último ano, a companhia recebeu o aporte de US$ 2,1 milhões vindo de diversas empresas e está pronta para dar este passo adiante. A ideia é criar uma alternativa a outros serviços de entrega de maconha, como QuickBooks, Square e Eaze, este o grande nome do ramo no país norte-americano. Indo muito além disso, a Meadow quer ser a ponte que vai levar a erva do produtor até o cigarro, assumindo posições ao lado de toda a cadeia produtiva do produto.

Negócios crescendo

Atualmente, a Meadows trabalha apenas com maconha medicinal. Por meio do aplicativo da empresa, que já cobre 38% dos endereços do estado da Califórnia, é possível escanear a prescrição médica, obter informações sobre os diferentes tipos de marijuana e fazer o seu pedido. Em um horário combinado, o entregador chega na residência e faz a entrega — e vale ressaltar que a companhia é apenas uma intermediária entre quem vende e quem compra, cobrando uma taxa extra de 10% da negociação para realizar o serviço. A startup também se associou a médicos que vão visitar os pacientes em casa para então prescrever o remédio.

Atualmente, a Meadow faz parcerias com vendedores de maconha e eles podem até mesmo embutir a loja dentro de seus sites na web, facilitando assim as aquisições por meio do serviço. Com o aporte financeiro recebido no último ano, é bem provável que a companhia consiga dar passos mais firmes rumo à expansão, mirando beliscar uma fatia deste enorme bolo que vem se tornando o mercado legal de cannabis nos Estados Unidos — o setor movimentou US$ 5 bilhões em 2015.

E se o mercado está satisfeito com o negócio, o estado também: para se ter uma ideia, apenas o estado do Colorado arrecadou US$ 125 milhões no último ano, quase três vezes mais do que em 2014. Com tantas cifras, os responsáveis pela Meadows esperam que outros estados se convençam de que a legalização é um bom negócio em vários sentidos.

Fonte: TechCrunch

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!