Empreendedor tem ideia milionária depois de um assalto na Argentina

Por Redação | 08.06.2016 às 23:18 - atualizado em 08.06.2016 às 23:50

Existem pessoas que enxergam oportunidades mesmo nas situações mais adversas, e esse é o caso de Guille Freire, um empreendedor argentino. Após cursar MBA em tecnologia e empreendedorismo no MIT, Estados Unidos, Freire retornou à Argentina e acabou sofrendo um assalto. Na ocasião, o ladrão levou o seu iPhone, e como ele não tinha dinheiro para comprar um novo, foi atrás de vendedores de aparelhos usados.

O que poderia ter terminado bem para o executivo, acabou lhe causando maiores dores de cabeça. Depois de comprar um dispositivo usado, constatou que ele não recarregava. Obviamente Guille Freire foi atrás do vendedor, o qual jamais retornou suas ligações.

Diante de toda a sua frustração, o empreendedor acabou consertando o aparelho e o revendendo, mas levando em conta aquele velho ditado que diz "se tiver um limão, faça uma limonada", Guille viu em toda a situação pela qual passou uma verdadeira oportunidade milionária.

Estudando o mercado de smartphones usados, Guille Freire percebeu que muitas pessoas haviam passado por problemas semelhantes. A partir de então, resolveu se unir ao seu irmão, Guille Arslanian, para criar um negócio que pudesse garantir melhores experiências durante o processo de compra e venda de aparelhos seminovos. E foi assim que nasceu a Trocafone, uma startup que atua a partir do conceito de recommerce.

A companhia permite que os usuários da plataforma, que inclui um website e pontos de coleta, comprem e vendam smartphones e tablets usados com qualidade de aparelhos novos. Uma solução simples e que tem rendido resultados bastante positivos ao executivo. Em 2014 Freire iniciou o serviço em São Paulo, no ano seguinte expandiu os negócios para a Argentina. Mas o trabalho não deve parar por aí: A previsão é de que a Trocafone adentre o mercado colombiano, chileno e peruano já no início de 2017.

Para se ter dimensão do sucesso da empresa, em apenas dois anos de existência a Trocafone já recebeu R$ 36 milhões de investimento, e se a aposta dos investidores é alta, a dos fundadores da companhia acompanham a mesma expectativa. Em 2015 a Trocafone faturou R$ 40 milhões, e para este ano a previsão é de que o faturamento chegue aos R$ 240 milhões.

Esses resultados vem acompanhados de um constante crescimento nas vendas dos aparelhos. Desde a criação da companhia foram comercializados 50 mil dispositivos, e a estimativa é de que até o final do ano 150 mil smartphones e tablets sejam vendidos.

Além de milionária, a ideia de Guille Freire tem um papel importante para a sustentabilidade, pois além de apresentar benefícios financeiros à sociedade (que pode adquirir os aparelhos por valores médios de R$ 500 a R$ 700), auxilia o meio ambiente com a redução do lixo eletrônico. É ou não é uma história com final feliz?

Fonte: Startupi