Drone será utilizado para levar suprimentos a comunidades africanas

Por Redação | 06.04.2016 às 11:20

É sempre satisfatório ver a tecnologia sendo utilizada para salvar vidas, e é exatamente essa a missão de uma startup californiana, que pretende ajudar uma parcela das mais de duas bilhões de pessoas que não têm acesso a suprimentos essenciais para sua saúde.

Enquanto companhias gigantes, como Google, Amazon e Walmart aguardam a liberação para a comercialização de drones, uma startup de São Francisco, Estados Unidos, chamada Zipline, lançará nos próximos meses um serviço de extrema necessidade em Ruanda, país localizado no interior africano.

O objetivo do serviço é levar suprimentos para comunidades localizadas em regiões remotas. Para isso, a companhia desenvolveu uma aeronave não tripulada capaz de viajar até 120 quilômetros. O drone, também chamado Zipline, foi projetado em parceria com o governo do país para fazer com que a população de comunidades carentes tenha acesso a medicamentos e outros suprimentos para a saúde. A expectativa é que o serviço possa salvar milhares de vidas no próximo ano.

Para chegar ao destino com sucesso, o drone necessita de bateria nova a cada nova viagem, além do plano de voo e dos suprimentos médicos, que são carregados em um compartimento especial dentro do dispositivo. A aeronave é lançada por meio de ar comprimido e, ao chegar ao seu destino, libera o pacote automaticamente através de paraquedas. Para solicitar o serviço basta que um profissional da saúde faça o pedido por meio de mensagem de texto.

A Zipline divulgou no YouTube um vídeo que mostra o lançamento e o funcionamento do avião não-tripulado. Confira.

Via: Digital Trends