ContaAzul contrata Joaquim Torres, ex-Locaweb, como novo CPO

Por Redação | 05.09.2016 às 16:50
photo_camera Divulgação

A ContaAzul, companhia que fornece um sistema de gestão online para micro e pequenas empresas, anunciou nesta segunda-feira (5) a contratação de Joaquim Torres para o cargo de diretor de produto. Ele será responsável por comandar e supervisionar atividades relativas aos serviços da entidade, desde a concepção ao desenvolvimento do projeto e sua produção.

Nos últimos 11 anos, Torres atuou como diretor de engenharia de software na Locaweb, além de cuidar da gestão de produto e UX (user experience design). O executivo, agora CPO da ContaAzul, também atua em gestão de produtos de internet há 25 anos, desde quando se formou em engenharia da computação no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Além disso, possui MBA em gestão de conhecimento, tecnologia e informação pela Universidade de São Paulo (USP).

Torres também é autor do blog Guia da Startup e escreveu os livros "Guia da Startup: como startups e empresas estabelecidas podem criar produtos web rentáveis" e "Gestão de produtos: como aumentar as chances de sucesso do seu software".

"Produto tem uma importância estratégica para a ContaAzul e a chegada do Joca reforça o nosso comprometimento com o sucesso das pequenas empresas e escritórios contábeis", destacou Vinicius Roveda, CEO da ContaAzul.

Contratações

Com sede em Joinville, Santa Catarina, a ContaAzul contratou diversos profissionais vindos de grandes empresas. Em outubro do ano passado, foi anunciada a chegada de Andre Ocuno como diretor de Customer Experience & Strategy. Ocuno já havia gerenciado um time de Customer Experience do Google. Já neste ano, a companhia nomeou Fabio Nakazoni como novo coordenador de desenvolvimento, que fez parte da equipe da Totvs por cinco anos. Entre 2013 e 2015, ele atuou como líder de desenvolvimento da empresa.

Desde que foi fundada em 2011, a ContaAzul afirma que 400 mil entidades já usaram seu software. Atualmente, a corporação conta com 200 funcionários e, há cerca de um ano, recebeu aporte na faixa dos R$ 20 milhões pela Tiger Global. Ela também foi a primeira startup brasileira selecionada pela 500Startups, um dos principais programas de aceleração de negócios no Vale do Silício, ficando incubada por quatro meses nos Estados Unidos.

Fonte: Baguete