Tudo o que uma startup precisa saber antes de escolher seu fornecedor de TI

Por Colaborador externo | 10 de Dezembro de 2014 às 12h45

por Marcelo Rodrigues*

Colocar uma startup em funcionamento não é uma tarefa fácil, tanto que, segundo dados de uma recente pesquisa realizada pela Fundação Dom Cabral, 25% das startups nacionais não sobrevivem ao primeiro ano de atuação e metade acaba desaparecendo antes de completar quatro anos de vida.

Várias decisões e acertos têm de ser definidos para que tudo saia como o planejado. É preciso analisar muitos fatores, desde o local do escritório, até a contratação da equipe. Outro desafio importante é montar uma infraestrutura de tecnologia adequada para garantir o funcionamento do negócio. Adotar tecnologias que sejam aliadas não só para o início do negócio como também para sua evolução, é um fator que deve ser levado em consideração.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Neste sentido, as startups necessitam de um parceiro de outsourcing que entenda primeiro qual é sua real necessidade, pois nem sempre o que ele avalia precisar é o que é mais aderente ao seu negócio. O fornecedor de TI precisa ser confiável e oferecer serviços e produtos desenvolvidos com tecnologia de ponta para quem está começando e quer contar com ofertas completas que aliem além de hardware e software, serviços e consultoria.

Além disso, é importante contar com uma oferta de ponta a ponta que contemple aceleradores de rede WAN, ambientes virtualizados, backup, storage, balanceadores de links de rede WAN, infraestrutura de redes, roteadores de borda, Segurança da Informação (SI), servidores, redes Wi-Fi, planos de continuidade dos negócios e comunicação unificada. Isso facilita o dia a dia do gestor da startup, que pode centralizar tudo o que precisa em apenas um fornecedor.

O parceiro de TI ideal deve caminhar junto com a evolução dos negócios do cliente, prestando um atendimento proativo que permita antecipar às necessidades de expansão das startups, fazendo com que ela possa centralizar sua atenção apenas no mais importante: seu core business.

*Marcelo Rodrigues é diretor comercial da Microcity, empresa brasileira líder em Outsourcing de Tecnologia da Informação

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.