Quer aquele produto que viu em um filme? Novo serviço te diz onde comprar

Por Redação | 09.10.2012 às 18:20

Quando se trata de publicidade online, vale (quase) tudo. Ganha quem for mais visionário e criativo, sabendo aliar os meios de comunicação, as mídias digitais e a vontade do consumidor. Foi essa a receita utilizada por uma startup chamada Graymatics, que foi destaque no site Technology Review.

A empresa desenvolveu um aplicativo capaz de identificar, automaticamente, produtos específicos exibidos na mídia visual. Por exemplo: é possível identificar um óculos Ray Ban que aparece em um filme ou videoclipe, ou então uma camiseta bacana que um amigo utilizou quando tirou uma foto e postou na web. Como maneira de direcionar as compras online, a nova ideia pode vir a ser um reforço de verbas para editores de conteúdo e plataformas como Facebook e YouTube, que servem como fontes quase inesgotáveis de imagens e vídeos online.

Os vídeos da web ainda não atingiram um ponto crucial para levantamento de receitas - nem mesmo aqueles com propagandas irritantes que se iniciam antes do conteúdo desejado. Melhorar os anúncios de vídeo e torná-los verdadeiramente rentáveis é um nicho que várias novas startups, incluindo a Graymatics, pretendem preencher.

Na semana passada ocorreu a Demo Startup Conference, em Santa Clara, na Califórnia. O evento reuniu várias novas empresas e seus respectivos executivos. A Graymatics chamou a atenção por criar um software capaz de identificar itens em fotos e vídeos e depois exibir ao usuário os locais de vendas destes produtos, ou de produtos similares.

Não entendeu muito bem? Aqui vai um bom exemplo: durante a apresentação, o aplicativo conseguiu identificar os óculos escuros usados por Brad Pitt e Angelina Jolie em uma imagem que acompanhava uma notícia sobre astros do cinema. Depois disso, exibiu resultados de óculos similares na Amazon. Qualquer leitor online que parar o cursor do mouse sobre o objeto poderá encontrar um link associado ao produto.

Pelo menos duas outras empresas ofereceram serviços semelhantes de reconhecimento de produtos na web. Basta reconhecer os objetos nas imagens e vídeos e utilizar algoritmos que os subdividem em vários atributos, como cor, forma e textura. FInalmente, o aplicativo encontra os resultados mais próximos em uma base de dados de produtos, como um feed da Amazon ou do eBay.

David Hagan, CEO da Boingo Wireless, estava em um painel de jurados na conferência e ficou impressionado com o potencial da tecnologia. Mas ele compreendeu que o sucesso da novidade dependeria da precisão da identificação e dos resultados retornados pelo motor de buscas.

Mas os projetos têm tudo para deixar as startups otimistas. J.K. Aggarwal, pesquisador de visão por computador da Universidade do Texas em Austin, disse que o âmbito do problema da Graymatics é semelhante ao problema de reconhecimento facial. Mas ele concorda que o reconhecimento de produtos pode ser mais fácil de se conseguir, dada a tecnologia atual.

Fundada em 2010, a Greymatics está agora lançando seu aplicativo para empresas que trabalham com a grande mídia, bem como redes de publicidade e plataformas de conteúdo de usuários. No momento, a startup encontra-se apenas em fase de ensaios preliminares. Até agora, a empresa assinou um contrato com o site Metatube, uma alternativa para o YouTube com conteúdo em espanhol. Isso significa que eles verão os resultados de seu novo software muito em breve.

A Graymatics não está focada apenas em publicidade. Ela também desenvolve opções para auxiliar outras empresas a encontrarem, na tela, materiais com direitos autorais, enviados por usuários, entre outras várias aplicações.

Até o momento, a Graymatics levantou fundos a partir do escritório do primeiro-ministro de Cingapura e da companhia Citrix Systems, através de seu programa acelerador do Vale do Silício.