Quatro tópicos fundamentais para abrir uma startup de e-commerce

Por Redação | 17.10.2014 às 16:00
photo_camera Divulgação

Um levantamento feito recentemente pela empresa de logística UPS revelou que 70% dos 14 mil consumidores frequentes na internet preferem o e-commerce ao tradicional. Nos Estados Unidos, uma pesquisa do eMarketer projetou aumento de 19% no comércio via dispositivos móveis, com lucros aproximados de US$ 58 bilhões este ano. E a expectativa é de uma alta ainda maior em 2016, perto dos 25%.

Os números são animadores e com isso a concorrência aumenta. Pra se destacar não há fórmula certa, entretanto, seguir alguns passos já testados e bem-sucedidos pode ajudar bastante, principalmente se você é um iniciante no setor. Confira quatro dicas fundamentais para lojas digitais startups dadas pelo Entrepreneur.

1. Mexa-se para concretizar o potencial do ambiente móvel

Desenvolver o app móvel e exibir os produtos de sua startup não podem ser suas únicas estratégias para o ambiente móvel. O comércio digital está se expandindo, com maior uso e penetração global, assim como os dispositivos móveis têm se tornado usual ao cotidiano de todos. Então, apenas existir não vai seduzir os consumidores. É necessária uma motivação, seja por valor agregado ao entretenimento ou utilidade.

É preciso compreender e se esforçar pela experiência móvel, seja via sites ou apps. Eles precisam ser a extensão de uma cultura, que deve ser relacionada a uma marca ou sua utilidade. A partir daí, você precisa sintonizar o comportamento do cliente com o que o emociona, o faz sorrir, compartilhar e, eventualmente, comprar. Em resumo, isso vai além de apenas oferecer uma oportunidade de compra, o que o público pode encontrar em qualquer lugar.

Startup

Um dos melhores exemplos a serem seguidos é a maneira como a empresa Warby Parker ganha a empatia dos consumidores ao oferecer um "provador virtual" de óculos. A ferramenta Try-On permite que os consumidores enviem suas fotos e testem diferentes tipos de estilos para saber quais ficam melhores.

Além de facilitar a vida do usuário e entreter os visitantes, o site também ganha com mídia espontânea ao disponibilizar o compartilhamento dos testes em redes sociais. Assim, os clientes podem ter a opinião de seus amigos sem ter que ir a loja alguma. Esse é o tipo de interatividade que ajuda a promover a startup, assim como a gerar uma conexão de lealdade com a proposta através de uma experiência divertida.

Levar esse conceito para sua startup pode te deixar bem à frente da concorrência.

2. Estabilize os sistemas prioritários desde o início

"Organizar funções em torno de um negócio, não de pessoas. Construir sistemas dentro de cada função do negócio. Deixar os sistemas rodarem e as pessoas utilizarem os sistemas. As pessoas vêm e vão, são os sistemas que se mantêm constantes." As palavras são de Michael Gerber, no livro E-Myth Revisited: Why Most Small Businesses Don't Work and What to Do About It e resumem bem essa dica.

Estruturar o sistema e definir como cada departamento da startup funciona — marketing, recursos humanos, financeiro, etc. — é o que pode fazer a diferença quando o negócio for lançado. Essa organização cria uma cultura interna de responsabilidade e direção que amplia as conquistas e te dá mais tempo enquanto seu investimento prospera.

Startup

Para deixar esses sistemas operacionais e dinâmicos, são necessários profissionais e potenciais investidores, além de ferramentas específicas para o manuseio diário. Seja com recursos do Google Apps for Work ou apps de gerenciamento como o Trello, Buffer ou Vend, os softwares ajudam a negociação digital a ter mais sentido e impacto.

O app Vend, por exemplo, é ideal para startups de e-commerce baseada no varejo. É uma solução completa, que demanda pouco tempo, a partir de POS Software, CRM integrado e APIs para se conectar a serviços populares, além de possibilidade de gerenciamento de inventário e programas de lealdade customizáveis.

3. Use uma estratégia de grande impacto de marketing, mesmo com baixo orçamento

Você pode divulgar sua startup de diversas maneiras. A chave para que seja bem-sucedido é ter foco nas histórias que você pode contar para se manter conectado às pessoas. Gastar muito dinheiro com anúncios ou na manutenção de um blog bem atualizado pode até ser uma alternativa razoável, mas ninguém vai ligar para o que você está dizendo a não ser que isso provoque uma resposta emocional.

Alinhar sua campanha com o que o consumidor deseja, considerando a maneira como ele expressa seu próprio estilo, e entender como o valor do produto é amplificado com a interação é essencial.

Algumas boas ideias relacionadas ao marketing de uma startup:

  • Busque parcerias estratégicas: É o chamado networking. Tenha alinhada sua startup a companhias quem já têm certa influência e alcance. Procure por oportunidades em marcas as quais seus produtos possam ser complementares, de maneira que leve um valor único, tanto para seus clientes quanto para os delas.
Startup
  • Compartilhe para incentivar o crescimento: Compartilhar é parte fundamental do que faz a experiência de comprar divertida, recompensadora, significante e empolgante para os consumidores. É algo que funciona com o Dropbox e com a Treehouse, que oferecem gratuitamente o uso de seu produto premium para prender a atenção e a possibilidade de comprar de seus usuários.
  • Fortaleça o relacionamento com pessoas influentes: Como uma startup, você estará ansioso por impulsionar seu negócio e suas ideias, mas isso não precisa necessariamente vir de você. Ao invés disso, construa relações reais com as pessoas conectadas com sua indústria. Elas podem dar um empurrão para sua empresa ao indicá-la e ser peças-chave na decisão de fabricantes, fornecedores ou redatores de uma revista bem cotada, por exemplo. Concentrar seu marketing apenas em si mesmo é pedir para ser ignorado. A melhor forma de promover é sendo alguém que os consumidores podem tratar e considerar como um amigo.
Startup
  • "Turbine" seu conteúdo: Monitore o que seus concorrentes estão criando e como eles estão apresentando seus apps. Veja como exemplo o Buzzsumo. Note como ele funciona bem e então vá adiante para criar algo melhor. Às vezes, falta um "algo mais" no conteúdo e é aí é que estão as oportunidades para entregar algo que seus competidores se esqueceram ou são preguiçosos demais para serem perfeitos. Gastar tempo para criar algo útil, divertido e digno de um link aumenta as chances de sua startup ser descoberta e compartilhada.


4. E-commerce e lojas físicas andam juntos

Não deixe o sucesso da Amazon te enganar. Ainda há espaço para muita gente nesse mercado e a demanda da loja física continua alta. Entregar uma experiência única para os consumidores de pronta-entrega pode ser o canto que você precisa para manter o "low profile" e ficar distante da competição das gigantes. Os pequenos nichos podem ser muito lucrativos.

Pegue o Foursquare como exemplo. O app provou que o e-commerce trabalha lado a lado com a loja física. Com ele, os usuários podem descobrir localizações para o que precisam, seja no campo ou na cidade, inclusive com informações sobre facilidades de pagamento em restaurantes.

O Foursquare projeta a criação de um guia turístico mundial automatizado, para que seus usuários sejam notificados de forma proativa sobre descontos em lojas, restaurantes próximos, entre outros negócios. Alguns dos recursos e melhorias do app geraram alta de 60% nas interações e aumentaram o engajamento dos varejistas. Neste caso, houve a convergência dos mundos virtual e físico. Essa é a abordagem ideal de uma startup.

Além disso, a experiência de estar dentro de uma loja física tem grande potencial de criar uma atmosfera única para o estilo de sua empresa. Será difícil os concorrentes copiarem isso de você, porque é autêntico.

Em suma, lançar a próxima grande startup está ao alcance de todos, mas requer uma bem estruturada e planejada abordagem. O alcance e o uso nativo das tecnologias móveis, juntamente com a satisfação das necessidades dos consumidores por meio de experiências significantes, deixarão você no rumo certo para aumentar as chances de sucesso de sua empresa.

Fonte: http://www.entrepreneur.com/article/237847