Pesquisa aponta que investimento em startups cresce no Brasil

Por Redação | 06 de Dezembro de 2012 às 15h57

De acordo com uma pesquisa realizada pela organização Anjos do Brasil, a quantidade de pessoas físicas que aplicam recursos e conhecimento em startups no Brasil passou de 5.300 para 6.300, registrando alta de 18% em comparação ao ano passado.

O volume de capital deste tipo de investimento também apresentou crescimento de R$ 450 milhões para R$495 milhões. No entanto, o valor médio investido por startup, segundo a organização, é de R$79 mil, 7% abaixo da média do ano passado. Cerca de 80% desses investidores são apenas receptivos, ou seja, aplicam somente quando são procurados por empreendedores.

“No Brasil, existem ainda necessidades fundamentais que precisam ser preenchidas e muitos serviços prontos para serem lançados”, explica Nicolas Gautier, diretor da Mountain do Brasil – incubadora de startups que tem por estratégia investir entre R$ 1 milhão e R$ 1,5 milhão em cada empresa.

Nos Estados Unidos existem 265 mil investidores-anjo, sendo que o mercado cresce num ritmo de 20% ao ano, segundo o Center for Venture Research da Universidade de New Hampshire.

O termo investidor-anjo é de origem norte-americana e se aplica às pessoas físicas que podem investir através de uma pessoa jurídica, mas com recursos e trabalho próprios, e não de terceiros. Estes investidores aplicam recursos e conhecimento em startups próximas de onde residem e possuem uma participação minoritária no negócio.

Programa do Governo investirá R$ 40 milhões em startups

Na última quinta-feira (29), o governo federal lançou o programa “Start-Up Brasil”, que vai destinar R$ 40 milhões para 150 startups até o fim de 2014. O governo federal também se compromete com apoio de marketing às campanhas individuais das empresas que obtiverem os recursos por meio do edital.

Segundo dados do Instituto Inovação, pouco mais de 2 mil novas empresas foram criadas no Brasil em 2011, número três vezes maior do que o registrado em 2009. Já a pesquisa “Startup Ecosystem Report 2012” aponta que a cidade de São Paulo se consolidou como a capital dos novos negócios do Brasil, sendo o 13º melhor ecossistema do mundo para startups.

E de acordo com um ranking mundial levantado pelo Startup Genome, a capital paulista figura em décimo terceiro lugar da lista, integrando o rol dos 20 maiores centros tecnológicos do mundo.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.