Como engajar a geração Y dentro de uma startup

Por Colaborador externo | 16 de Dezembro de 2013 às 18h34

Por Thiago Gonçalves*

A chamada geração Y, ou millenials, é representada por 55 milhões de brasileiros, nascidos entre 1980 e 1995. Com um perfil conectado, proativo e ligado à coletividade e sociabilidade, levam a sério a ideia de felicidade e sentimento de realização em todas as etapas da vida, inclusive profissionalmente. Com a chegada dessa geração no mercado de trabalho foi possível notar uma mudança consistente nos recursos humanos, para conseguir captar, recrutar e motivar esses profissionais dentro das empresas. E dentro de uma startup, isso não seria diferente.

Sem medo de arriscar e se frustrar com algum imprevisto profissional, essa geração que costuma ter grande senso de empreendedorismo, gosta de transformar aquilo que pensa e acredita em realidade, buscando prazer no trabalho e agilidade no crescimento profissional, procura atender a todas as necessidades que uma empresa dispõe, além de priorizar o aprendizado e aceitar com facilidade mudanças profissionais para conseguir adquirir uma visão mais completa da sua profissão e da função que exerce.

Não é à toa que muitos profissionais da geração Y já são chefes de equipe, o que permite perceber uma grande capacidade e espírito de liderança. Entre outras características, estes jovens gestores não se prendem a métodos de gestão tradicionais e são mais abertos a trabalhar de forma horizontal para dividir e discutir ideias para tomar decisões. Priorizam a liberdade para encontrar a melhor forma de realizar tarefas, tendo como objetivo conseguir conciliar sua autonomia profissional com sua qualidade de vida.

O quesito básico para engajar esses profissionais é entender que eles precisam se sentir parte da organização, com a sensação de que estão sendo valorizados e que podem contribuir para o desenvolvimento coletivo da empresa. Além disso, prezam muito por sua vida social e pela liberdade de comunicação.

Geralmente esses jovens não aceitam que ‘falem para eles e sim com eles’, por isso é sempre importante que as startups insistam no diálogo e compreensão para que se sintam parte do projeto. Com esse tipo de postura, as empresas conseguem atrair novos talentos, além de engajar e fortalecer o vínculo com os que já conseguiram reter.

Com toda certeza, essa geração é composta por profissionais que vão gerar cada vez mais valor para os projetos que estão inseridos, com uma mentalidade avançada e criativa. Serão colaboradores que têm planos de permanecer por muito tempo nas empresas, desde que possam exercer suas funções com autonomia, espaço aberto para novas ideias, relação de confiança com os superiores e oportunidade de crescimento.

* Thiago Gonçalves é Country Manager da GoIntegro, empresa líder em soluções de engajamento para Recursos Humanos na América Latina, tendo sido responsável pelo startup da operação brasileira.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!