Skype ganha nova versão para Chrome e Linux

Por Redação | 13.07.2016 às 17:36

A Microsoft liberou nesta quarta-feira (13) novas versões do Skype para usuários do Linux e Chromebooks. Desse modo, os usuários das novas versões poderão realizar chamadas de voz, videochamadas e enviar mensagens com o Skype em uma interface nova que inclui recursos já presentes em outras plataformas, como novos emoticons e uma interface de compartilhamento de arquivos.

De acordo com a Microsoft, a versão alpha do cliente para Linux é muito diferente da versão antiga, considerada por muitos obsoleta. Essa versão conta com a API ORTC, também presente no Microsoft Edge. "Este é o nosso primeiro passo em nosso caminho para replicar as capacidades ORTC além do Microsoft Edge", explicou a equipe de desenvolvimento do Skype.

Skype para Linux

"A medida que desenvolvemos esta nova versão do Skype para GNU/Linux, é necessário colocá-la a prova, conhecer sua opinião e ajudar a priorizar características", afirmou a equipe. Os desenvolvedores ainda lembraram que o novo cliente para Linux poderá realizar chamadas para o aplicativo de qualquer outra plataforma, menos para as versões anteriores do Skype para Linux.

"A nova versão do Skype em versão alpha utiliza nossa arquitetura da próxima geração de chamadas, podendo chamar seus amigos e familiares que utilizam as últimas versões do Skype para Windows, macOS, iOS e Android, porém, não é possível realizar ou receber chamadas desde as versões anteriores do Skype para GNU/Linux - 4.3.37", afirmou a empresa em comunicado.

A tecnologia ORTC também está presente no site web.skype.com, que permite que os usuários do Chrome possam realizar chamadas a partir do navegador e do sistema operacional do Google sem a necessidade de baixar qualquer plug-in. O novo app do Skype para Chrome também está em fase alpha, o que significa que podem existir algumas falhas e bugs durante a utilização dos recursos.

Com a chegada das novas versões do mensageiro para Linux e Android, a Microsoft quer ampliar o alcance do Skype e transformá-lo em um serviço mais popular e universal. Além disso, o movimento da empresa ressalta o seu interesse de se aproximar da Canonical, empresa desenvolvedora do Ubuntu.

Fonte: Skype