Programador prejudica a internet apagando código de 11 linhas

Por Redação | 28 de Março de 2016 às 19h52

Na semana passada, um programador chamado Azer Koçulu causou uma enorme confusão no software da internet, apagando um código simples de 11 linhas. Toda a confusão começou porque Koçulu escreveu um código chamado Kik, extensão para a linguagem de programação Node.js.

O desenvolvedor colocou o seu módulo Kik no NPM (Node Package Manager), gerenciador oficial de pacotes do Node.js, mas, para sua surpresa, a Kik, rede social bem conhecida lá fora, enviou-lhe um e-mail solicitando a mudança de nome do módulo. Koçulu afirmou não saber que havia uma empresa com o mesmo nome, e não quis ceder.

Percebendo que o programador não alteraria o nome, a Kik, rede social, enviou outro e-mail para Koçulu, dessa vez com tom de ameaça. No e-mail estava escrito que a Kik é uma marca registrada em diversos países ao redor do mundo, e que se ele liberasse um projeto open source chamado Kik, os advogados da marca seriam acionados para resolver o problema.

Mesmo com a ameaça, Azer Koçulu se recusou a alterar o nome, e então a Kik acionou a NPM, e Isaac Schlueter, CEO da Node Package Manager, tirou a propriedade de Koçulu do módulo sem sua autorização.

O programador, frustrado, anunciou que estava retirando a Kik completamente, bem como todos os seus outros códigos. O que parecia ruim, ficou ainda pior. Afinal, Koçulu é criador de um módulo NPM extremamente popular chamado NPM left-pad. O código tem 11 linhas, e é basicamente um atalho para que um desenvolvedor não tenha que escrever diversos códigos do zero. A NPM left-pad foi baixada mais de 575 mil vezes – então, já dá para imaginar o tamanho do estrago.

Quando Koçulu deletou o código, projetos de software populares, como o Babel, que auxilia o Facebook, Netflix e Spotify foram afetados. Segundo o blog NPM, mais de mil projetos de software foram prejudicados.

Após uma série de protestos de desenvolvedores do mundo todo, o NPM foi obrigado a disponibilizar novamente o código, entregando-o a um novo proprietário. Um dos representantes da empresa afirmou, no Twitter, que a decisão não era confortável, por envolver propriedade intelectual de Koçulu, mas que eles não poderiam deixar de atender as necessidades de tantos desenvolvedores.

O problema já foi solucionado, e o NPM left-pad está disponível normalmente.

Em entrevista qo Business Insider, Koçulu disse que sente muito por ter interrompido o trabalho de tantas pessoas, mas que fez isso em beneficio da comunidade, por não concordar com o monopólio da NPM.

Fonte: Business Insider