Pacote Office agora está disponível gratuitamente na Play Store para Android

Por Redação | 25 de Junho de 2015 às 09h49

Pode pegar seu smartphone ou tablet Android e testar: finalmente o pacote Office ganhou um aplicativo para o sistema operacional mobile do Google e de graça!

Com a novidade, a Microsoft alcança seu objetivo de inserir seu famoso pacote de softwares em todas as principais plataformas mobile, uma vez que dispositivos Windows Phone e iOS já contavam com esse recurso.

O anúncio da entrada em definitivo de Word, PowerPoint, Excel e os outros programas do Office no Android foi feito nesta quarta-feira (24), mas não é a primeira tentativa da Microsoft de integrar o sistema do Google com seu software. Em fevereiro, a empresa havia anunciado uma prévia só para tablets e em maio uma versão, também de testes, para smartphones.

O aplicativo para Android funciona de forma bastante parecida com a versão para iOS. O usuário pode editar documentos do Word e abrir apresentações do PowerPoint em qualquer lugar. Outros recursos mais avançados da versão mobile e da versão para desktop, porém, requerem uma assinatura anual do Office 365 para serem ativadas. Tudo isso faz parte da nova estratégia do CEO Satya Nadella para revigorar o mercado de software da empresa.

Ao que tudo indica, a ideia da Microsoft é que seus usuários paguem a taxa anual do Office 365 para poderem utilizar, por exemplo, a versão na nuvem do Outlook, do Word e do PowerPoint em seus PCs e Macs e integrarem seus dispositivos mobile com o desktop, aumentando o número de clientes e o engajamento deles nos softwares oferecidos.

"O objetivo desses aplicativos é garantir que as pessoas, assim que pensarem em trabalhar, criar e fazer, pensem automaticamente no Office", comentou Ebun Onagoruwa, gerente de produtos da Microsoft. De acordo com Onagoruwa, a chegada dos programas ao Android é o fim de um ciclo de 18 meses, que começou com a entrada do software no iPad e agora termina com a transformação do Office em um conjunto de ferramentas multiplataforma.

A parte não tão agradável aos ouvidos (e bolsos) é que Nadella e o alto escalão de Redmond, assim como já acontece com ferramentas como a Oracle e a Adobe, querem que os usuários parem de pensar no Microsoft Office como um produto de licença única e vitalícia e passem a encará-lo como um serviço que precisa ser renovado (ou "recomprado", se preferir) anualmente.

O CEO da Microsoft declarou em abril que as versões mobile existentes até então para iOS e Android haviam sido baixadas mais de 100 milhões de vezes desde junho de 2013. Para aumentar esse número, a empresa está trabalhando em parcerias com diversas outras companhias, como Samsung, Dell e LG para trazer o pacote pré-instalado em seus dispositivos.

Atualmente, o sistem de negócios da Microsoft na nuvem rende US$ 6,3 bilhões por ano (quase R$ 20 bilhões) e o plano da empresa é atingir os US$ 20 bilhões (mais de RS 61 bilhões) até 2018.

Via CNET

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.