Microsoft adia lançamento da função Windows 10 Timeline

Por Redação | 03.07.2017 às 18:45

Os usuários de Windows 10 terão que esperar um pouco mais para utilizarem um dos recursos mais aguardados da plataforma. No Twitter, o vice-presidente corporativo da Microsoft, Joe Belfiore, anunciou que o Timeline não estará disponível na próxima grande atualização do sistema operacional, marcada para chegar entre o terceiro e o quarto trimestre deste ano.

Ao anunciar o recurso durante seu evento para desenvolvedores, o Build, a Microsoft havia dito que ele estaria entre as novidades do Fall Creators Update. Como o nome já diz, o pacote deveria chegar entre setembro e dezembro de 2017, e isso efetivamente vai acontecer, mas o Timeline, que deve chegar aos usuários do programa Insider um pouco depois.

Belfiore não deu uma data exata para isso, mas confirmou, pela rede social, que as primeiras versões para testes do recurso devem chegar pouco depois do lançamento da atualização. Isso indica, entre outras coisas, que a novidade não está pronta nem mesmo para testes externos, mostrando que a integração entre diversos aparelhos ainda precisa de mais um tempo de lapidação.

O Windows 10 Timeline vai permitir que os usuários continuem a trabalhar exatamente de onde pararam, mesmo tendo mudado de dispositivo. Comandada pela Cortana, a funcionalidade oferece, por exemplo, a possibilidade de continuar acessando a uma página web ou digitando um e-mail a partir do celular, mesmo que o trabalho tenha começado a ser realizado pelo computador.

Isso vale não apenas para o Windows 10 em PCs, smartphones e tablets, mas também aplicativos selecionados no iOS e Android. Como tudo depende da assistente virtual Cortana, apenas apps que tenham a integração com ela ativada poderão utilizar o recurso. É o caso, por exemplo, de softwares de produtividade da própria Microsoft.

Junto com o desenvolvimento do Timeline, a companhia também diz estar trabalhando junto a desenvolvedores para garantir que eles registrem seus aplicativos e trabalhem nessa implementação, de forma que as sessões iniciadas no PC possam ser efetivamente transferidas para o mobile. A Microsoft se diz otimista, mas o verdadeiro escopo dessa integração somente será conhecido quanto o recurso finalmente for lançado em versão final.

Fonte: Joe Belfiore (Twitter)