Inteligência Artificial faz fake news parecerem legítimas

Por Redação | 18.07.2017 às 17:53

O boom das redes sociais faz cada vez ficar mais difícil distinguir a realidade da fantasia. Infelizmente, as fake news têm tomado conta da internet, e pode ser que esse tipo de conteúdo comece a se espalhar de forma assustadora daqui para a frente.

Pesquisadores da Universidade de Washington anunciaram recentemente uma nova ferramenta de edição de vídeos capaz de alterar áudios com movimentos labiais bastante realistas. Para provar a conquista, os estudiosos divulgaram um vídeo do ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, totalmente manipulado por inteligência artificial.

O resultado é assustador. Como poder ser visto, os cientistas — ou qualquer um que entender de tecnologia — podem colocar palavras na boca de qualquer um, convertendo sons em movimentos labiais e misturando movimentos de vídeos anteriores. O resultado parece incrivelmente realista.

Os cientistas que estão por trás do projeto esperam que a pesquisa seja utilizada para efeitos especiais de Hollywood ou para melhorar a qualidade das chamadas de vídeo. No entanto, também há o outro lado da moeda.

Em um futuro nada distante, o mesmo sistema de inteligência artificial poderia ser utilizado para a criação de vídeos falsos, o que faz surgir uma série de questões éticas sobre esse tipo de estudo. Afinal, de acordo com a equipe de pesquisa, o sistema poderia, teoricamente, aprender a desenvolver vídeos falsos de qualquer pessoa.

Na verdade, este é apenas um dos muitos avanços em programas de computador capazes de imitar os seres humanos. O Google DeepMind AI, por exemplo, já tem capacidade para fazer gravações de voz falsas. Uma outra plataforma, chamada Lyrebird, pode recriar a fala humana com apenas 60 segundos de amostra de áudio. É praticamente a série Black Mirror da realidade.

Apesar disso, os pesquisadores da Universidade de Washington argumentam que o sistema criado por eles poderia ser usado como ferramenta de verificação reversa, o que significa que as pessoas poderiam utilizar a ferramenta para descobrir se conteúdos publicados são reais ou não.

A verdade é que a velocidade do compartilhamento de informações na internet é imensamente rápida. Dessa forma, é pouco provável que as pessoas parem para utilizar uma ferramenta de verificação antes de compartilhar vídeos que podem trazer conteúdos bombásticos.

É claro que essas plataformas ainda não estão disponíveis para o público, mas é possível que em breve todos tenham acesso a esse tipo de tecnologia. O que será que o futuro nos reserva?

Via Mashable