Cientistas criam software que usa desenhos para identicar fotografias

Por Redação | 20.05.2016 às 16:25
photo_camera M. C. Escher

Os softwares de reconhecimento facial tem evoluído bastante nos últimos anos, mas, quando o assunto é desenho ou rabiscos, eles ainda precisam evoluir mais ainda. Uma equipe de cientistas está procurando mudar isso com um novo programa que combina desenhos e esboços com fotografias.

Para resolver a questão, os cientistas acreditam que o deep learning seja a resposta. Neste tipo de tecnologia, a inteligência artificial utiliza redes neurais (sistemas de computador parecidos com um cérebro feitos para criar padrões baseados em impulsos) para analisar e processar imagens.

Para melhorar a limitação das técnicas de reconhecimento de imagem, os cientistas começaram a trabalhar em um programa que será capaz de pegar um esboço ou desenho de uma imagem e encontrar uma fotografia que combine com ela. Um dos motivos que resultam na falha dos programas reconhecerem esboços é que eles não são representações fiéis.

Apesar de ainda estar no começo, a revista New Scientists informa que o programa já se provou viável. Depois de testes com mais de 600 participantes, os cientistas pediram às pessoas que desenhassem um objeto que havia sido mostrado em uma foto por apenas dois segundos. Esses esboços foram depois inseridos em uma rede neural enquanto a fotografia foi colocada em outra rede. As duas redes, então, trabalharam juntas para analisar os desenhos e combiná-los com a foto original.

Na fase inicial do teste, o programa foi capaz de combinar os esboços com sua imagem original em 37% das ocasiões. Embora a porcentagem pareça pequena, seres humanos foram capazes de identificar os esboços baseados nas fotos apenas 54% das vezes. Apesar de nada conclusivos, os números preliminares mostram que, com alguns ajustes, o programa pode ultrapassar a habilidade humana para identificar fotos e combiná-las com desenhos.

De um ponto de vista do mercado consumidor, essa tecnologia poderia criar um aplicativo para procurar por fotografias e pinturas baseadas em seus próprios desenhos. De maneira mais comercial, a tecnologia poderia ser usada para identificar criminosos com base em esboços feitos em bases policiais.

Mais informações sobre o sistema serão reveladas na conferência SIGGRAPH em Anaheim, nos Estados Unidos.

Via: Digital Trends