Behringer promete novo software poderoso de edição e mixagem musical — de graça!

Por Claudio Yuge | 09 de Março de 2020 às 22h20
Todd Smith Music

Assim como a edição e tratamento de vídeo se tornou algo fundamental com a multiplicação dos youtubers nos anos 2010, vemos uma aumento significante de podcasters no final da década e no início de 2020. A Behringer, que fabrica sintetizadores, vê aí uma chance de promover seu novo software para estação de trabalho digital (DAW, na sigla em inglês), que, dessa forma, não ficaria restrito apenas para DJs e produtores. A companhia anunciou que vem trabalhando em um novo software, gratuito, que promete ser tão poderoso quanto as alternativas mais avançadas do mercado.

O mercado tem ferramentas poderosas para esse fim, como o Logic Pro, da Apple, e o Pro Tools, da Avid, mas essas opções custam caro para quem está começando ou pretende usar para fins menos complexos — o da Maçã sai por R$ 749, enquanto o da Avid vai de US$ 30 (R$ 142 na conversão direta) a US$ 600 (R$ 2.840). Há outras propostas interessantes e sem tanta sofisticação, como o Reaper, que pode ser avaliado por 30 dias e tem o preço de US$ 60 (R$ 284) e a plataforma em código aberto Audacity.

Os freewares até quebram o galho para quem quiser apenas fazer gravar e/ou realizar uma edição simples de uma faixa, seja para tocar em festinhas ou para produzir um podcast de baixo orçamento — mas, definitivamente, não conseguem dar suporte o suficiente para um material profissional. Já as versões "lite" de outras DAWs populares também podem ser uma mão na roda, mas geralmente elas vêm com limitações de recursos e poucos complementos.

Logic Pro X da Apple (Imagem: Reprodução/Apple)

Se conseguir oferecer uma DAW com amplas ferramentas de edição, compatibilidade com múltiplos plug-ins e um eficaz painel para manipulação do tempo das gravações, a Behringer pode até mesmo competir de frente com concorrentes famosos, a exemplo do Pro Tools First e o Ableton Live Lite. Segundo a companhia, o Music Tribe está atualmente em desenvolvimento e deve ser lançado no segundo semestre de 2021.

E o que a empresa ganha com um software gratuito?

A companhia, fundada pelo suíço Uli Behringer, firmou-se na Alemanha em meados dos anos 1990 e atualmente fabrica muitos de seus sintetizadores na China. Vários de seus produtores são quase cópias fiéis de sintetizadores analógicos antigos e, mesmo que empresas como a Roland pareçam não se importar muito com isso, há uma certa parcela dos consumidores que acham estranho esses “plágios”.

Então, ter uma comunidade em torno de uma DAW poderosa e gratuita pode melhorar a visibilidade da marca e posicioná-la no mercado digital em uma interessante faixa intermediária, tornando a Behringer mais conhecida mundialmente e, claro, promovendo seus equipamentos, que também teriam um software dedicado para uso.

Fonte: Engadget

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.