Windows e Linux coexistem cada vez mais em ambientes domésticos e empresariais

Publieditorial | 22 de Maio de 2014 às 02h00

Você que tem um tablet ou smartphone, certamente deve acompanhar a guerra travada pelos sistemas operacionais móveis mais usados no mercado, como Android, iOS e Windows Phone. Nos PCs, essa "briga" não é tão acentuada, e há quem acredite que Windows e Linux não se dão bem. Claro, a proposta das duas plataformas é bem diferente, mas quem disse que as duas não podem conviver em harmonia?

Em entrevista à Linux Magazine, Djalma Andrade, gerente de estratégias de plataforma da Microsoft Brasil, deu detalhes de como softwares tão distintos podem operar em um mesmo computador, seja ele para uso doméstico ou empresarial. De acordo com o executivo, o Windows 8 traz novidades que aumentam a interoperabilidade, que é a capacidade de um sistema de se comunicar de forma transparente com outro sistema. Entre suas diversas funções, essas novidades incluem aplicativos que permitem a criação de blogs com base nas características open source do Linux.

"Quando falamos em interoperabilidade, precisamos sempre pensar na infraestrutura como um todo. No caso do Windows 8, já podemos encontrar alguns aplicativos na Windows Store para criar um blog no WordPress", afirma Andrade. "Não podemos deixar de destacar o Hyper-V client (desde que o hardware suporte), em que temos a possiblidade de virtualizar sistemas Linux no Windows 8 e assim fazer uma verdadeira interoperabilidade entre os eles", complementa.

Para o executivo da Microsoft, a convivência entre dois sistemas operacionais aumenta os requisitos de segurança, confiabilidade, produtividade e gerenciamento de arquivos e dados de companhias e usuários. "Esta é uma jornada contínua, seja na concepção de novos produtos ou com ações locais que ajudem nossos clientes e parceiros a tirarem o melhor proveito possível da tecnologia e do investimento já realizado", diz.

Andrade também defende que o futuro da computação em nuvem será em sua maior parte operado entre ambientes mistos. Segundo ele, um exemplo dessa integração entre plataformas é o suporte do Windows Azure para executar instâncias de máquinas virtuais com distribuições Linux, além do suporte a PHP e demais tecnologias livres do mercado. "A Microsoft possui grande comprometimento com a interoperabilidade, e prova disso é a capacidade de muitos produtos, tecnologias e serviços para nuvem da empresa suportarem de forma transparente a integração com ambientes mistos", afirma.

E as empresas? Respondem bem a essa mistura de sistemas operacionais? Para Andrade, a resposta é sim. "A integração com outras companhias e com a nuvem são cada vez mais necessárias. Por esta razão, grande parte das entidades utiliza de alguma forma os recursos da interoperabilidade. (...) Além disso, quando pensamos em mercado de tecnologia é fundamental ter em mente que diferentes tipos de necessidades precisam ser atendidas", explica.

Em apenas um ano, os aplicativos de código aberto que podem ser executados no Windows subiram de 80 mil para mais de 350 mil. E se você está interessado em saber mais sobre como Windows e Linux podem conviver bem entre si, Djalma Andrade recomenda a iniciativa "Microsoft Openness", que inclui o Portal Open Source. A plataforma possui mais de 28 mil projetos open source e mais de 300 mil usuários registrados. Você pode acessá-la neste link.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.