Microsoft promete corrigir os problemas do Skype

Por Redação | 25 de Novembro de 2013 às 14h35
photo_camera Telegraph

Desde que a Microsoft forçou os usuários do Windows Live Messenger a começar a usar o Skype no começo do ano, trocar mensagens instantâneas pelo Windows deixou de ser algo prazeroso. Se você é um usuário frequente do Skype, já deve estar familiarizado com os problemas apresentados. Mensagens perdidas, falta de sincronização e o aparecimento de mensagens antigas são bastante frequentes no serviço, mas a Microsoft jura que está arrumando esses problemas.

Em uma entrevista ao The Verge, o gerente de produtos do Skype, Jeff Kunins, disse que a Microsoft está testando várias melhorias para o serviço de VoiP. Entre elas, a sincronização de suas mensagens lidas e não lidas entre os vários dispositivos, como demonstrada nas versões atualizadas do programa para Windows Phone e desktop.

O Skype também apresenta problemas em sincronizar as chamadas recebidas. Se você recebe uma chamada, mas está com vários dispositivos conectados ao serviço, eles continuam tocando mesmo depois de atender a ligação. Uma correção para isso já está sendo trabalhada, disse Kunins ao The Verge, porém esse bug provou ser algo desafiador, especialmente no Windows 8 e na versão Web, revelou o executivo.

A empresa também está tentando diminuir o tempo de carregamento do aplicativo no Windows Phone, além de outras melhorias planejadas para o Windows 8.1.

A Microsoft disse que os bugs se devem à troca do tipo de transmissão do serviço, que antes era feita através de redes peer-to-peer e hoje em dia é realizada através de servidores em cloud. De acordo com Kunins, desenvolvido para PCs, o Skype está se adaptando lentamente a um novo mundo, no qual as pessoas utilizam múltiplos dispositivos ao mesmo tempo.

Kunins também falou sobre o recente lançamento do Skype Video Messaging. A Microsoft decidiu lançar o aplicativo primeiro para usuários de Mac, iPhone e Android, deixando os usuários de Windows e Windows Phone sem suporte por alguns meses. “Foi uma coincidência completamente honesta baseada no fato de que, historicamente, a sequência de lançamento não importa”, afirma.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.