Microsoft oferece oito opções de bancos de dados não-SQL para Azure

Por Redação | 06 de Novembro de 2014 às 09h50

A plataforma em nuvem Microsoft Azure disponibiliza a seus usuários oitos opções de bancos de dados em código aberto e que não são baseadas em tecnologias SQL (Structured Query Language). Como cada uma oferece algo que pode ser um diferencial de acordo com a finalidade de uso, os profissionais da Microsoft listaram as alternativas com breves descrições:

1- MongoDB: é um banco de dados para documentos escrito na linguagem C++ e um dos líderes dos grandes arquivos produzidos no conceito não-SQL.

2- Cassandra: baseado em Apache, é um sistema de armazenamento distribuído para o gerenciamento de grandes quantidades de dados estruturados espalhados em vários servidores de commodities.

3- CouchDB: baseado em Apache, é um banco de dados que usa extensões JSON para documentos, JavaScript para indexações de MapReduce e HTTP regular para aplicações.

4- Cloudant: baseado em Apache, fornece Mapreduce nativo, hospedagem, ferramentas administrativas, análise e suporte para CouchDB, com integrações adicionais, incluindo pesquisa Lucene e indexação geoespacial.

5- Redis: licenciado pelo sistema operacional BDS, derivado do Unix, atua como servidor de estrutura de dados, com entradas que podem conter váriáveis, algoritmos, listas, conjuntos, bitmaps, algoritmos do tipo hyperlogs com códigos disponíveis em Github.

6- RavenDB: banco de dados transacional para documentos escritos em .NET que oferece modelo de dados flexível, projetado para atender exigências de sistemas do mundo real.

7- HBase: baseado em Apache, é escrito em Java com modelo a partir do Google Big Table. Desenvolvido como parte do projeto Apache Hadoop, da Apache Software Foundation, roda sobre HDFS (Hadoop Distributed Sistema de Arquivos) e fornece capacidades similares ao Big Table, mas para o Hadoop.

8- DocumentDB: suporta extensão JSON e JavaScript dentro do motor de seu banco de dados. Também aceita sintaxe SQL para consultar documentos JSON e permite aproveitar o conhecimento em SQL para trabalhar num ambiente não-SQL.

A Microsoft oferece mais links e dicas úteis, todas vindas de especialistas do setor de bancos de dados em nuvem, para que os usuários possam utilizar melhores essas opções. Portanto, vale também olhar as outras informações a respeito aqui.

Fonte: http://www.porta25.com.br/2014/11/05/confira-8-bancos-de-dados-open-source-nao-sql-suportados-pelo-azure/

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.