Framework SAFe: você ainda vai usá-lo

Por Colaborador externo | 05 de Novembro de 2014 às 13h00

por Manoel Pimentel*

Você já ouviu falar na metodologia SAFe (Scaled Agile Framework)? Se você trabalha em uma grande empresa que faz uso de metodologias ágeis – como o Scrum – em sua área de desenvolvimento, pode se preparar. Considerada uma evolução das metodologias ágeis existentes, ela é um framework desenvolvido para ajudar empresas que estão tentando usar o Agile em larga escala, disseminando a prática por toda a organização. E, cedo ou tarde, ela será realidade no seu ambiente de trabalho.

É importante ressaltar que não se trata apenas de colocar mais e mais equipes trabalhando dentro da metodologia. É preciso sincronizar e alinhar o trabalho desses times e, mais que isso, tangibilizar benefícios reais da adoção das metodologias ágeis em larga escala, indo além do desenvolvimento de software.

Isso só se torna possível porque a SAFe nada mais é do que a compilação de práticas que já estão sendo utilizadas por grandes empresas em todo mundo. Companhias como Intel, HP, IBM e John Deere estão obtendo resultados reais a partir da implementação do framework, que propõe iniciativas que já estão sendo testadas.

Entendendo melhor o framework, ele é estruturado em três níveis: time, programa e portfólio. Na base da estrutura está o time, e aqui o SAFe será utilizado na organização dos times, de acordo com seus talentos e capacidades. No nível seguinte – programa – há a integração de todo o trabalho realizado por diferentes times, que deve ser sincronizado com outras áreas. Geralmente isso acontece por meio de eventos, ou cerimônias, que podem ser de planejamento, de acompanhamento periódico ou de revisão.

Por fim, chegamos ao nível do portfólio, onde o framework permite fazer a gestão das demandas organizacionais. Aqui, isso é feito de maneira ágil, buscando descobrir os gargalos operacionais da empresa e, principalmente, orientando as iniciativas para o que é mais importante, para o que vai gerar mais valor econômico para a operação.

Apesar de relativamente novo, cerca de quatro anos, o SAFe já está sendo bastante utilizado em várias empresas ao redor do mundo, atendendo a uma necessidade comum, que é escalar as metodologias ágeis. No Brasil ainda falamos pouco sobre ele e por isso mesmo poucas empresas o utilizam, mas ele está chegando e o mercado precisa começar a se preparar para ele.

Agora é o momento de investir e treinar profissionais na metodologia, isso porque o SAFe tem particularidades que exigem discussões prévias um pouco mais fortes. De todo modo, o ritmo de adoção tem sido forte. Além das empresas que o estão utilizando, há um forte trabalho de evangelização que vem sendo feito junto a setores que usam Agile intensamente, como telecomunicações e finanças. Pelo ritmo de adoção, em dois anos o framework deverá estar muito, muito forte no Brasil, dando escala ao Agile dentro das empresas e gerando benefícios econômicos a partir de sua utilização.

Por isso, quem sair na frente adotando o Safe agora, terá um grande diferencial competitivo.

*Manoel Pimentel, Agile Coach/Trainer na AdaptWorks

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!