Dropbox e Microsoft fazem parceria focada no Office

Por Redação | 04.11.2014 às 16:21

Rivais sim, inimigas, nunca. Em um anúncio surpresa, a Microsoft revelou uma parceria com a Dropbox para que o pacote Office possa se integrar completamente com o serviço de computação na nuvem. Isso significa que os documentos de aplicativos como Word, Excel, PowerPoint e outros poderão ser salvos diretamente no drive virtual do serviço, ficando acessíveis em todos os dispositivos do usuário e também em versões mobile da suíte de produtividade.

O primeiro a receber a integração será o Office para o iPad, que ganhará uma atualização nas próximas semanas trazendo esse suporte. Depois, seguem todas as outras versões, com o Dropbox se tornando um dos mecanismos padrões para salvamento e abertura de documentos, ao lado do OneDrive, da própria Microsoft, e também dos meios tradicionais de armazenamento na memória do dispositivo.

A ideia pode parecer inusitada, levando em conta que as duas companhias são concorrentes no segmento do cloud computing. Mas isso, para a Microsoft, não significa que elas não possam trabalhar juntas para benefício mútuo, além de atender aos pedidos de seus usuários. Pelo menos foram essas as palavras de Kirk Koenigsbauer, diretor de engenharia do Office, em entrevista ao site The Verge.

Office Dropbox

Trata-se, realmente, de um acordo de cooperação mútua. Ao mesmo tempo em que a Microsoft vai adicionar funções nativas com o Dropbox no Office, o serviço também fará o mesmo, com mensagens indicando o download da suíte de aplicativos sempre que o usuário tentar abrir um documento. Além disso, funções de compartilhamento também passam a fazer parte do pacote para as duas plataformas, tornando a utilização de ambas ainda mais práticas.

O foco no usuário parece ser o grande norte da Microsoft com a parceria. Apesar de pensar de forma mais específica nos usuários corporativos – um segmento com o qual o Dropbox também só tem a ganhar com essa união –, todos aqueles que trabalham diariamente com o Office estão sendo contemplados, espera a empresa, com a funcionalidade que vinham pedindo há anos. A ideia, segundo a própria, é entregar a melhor experiência possível.

No futuro, essa aproximação vai aumentar ainda mais. O Dropbox espera fazer uma migração completa para os sistemas do Office, oferecendo os apps Word, PowerPoint e Excel para todos os usuários de sua ferramenta mobile, permitindo que eles editem os documentos dentro do próprio ambiente da nuvem. Hoje, são 35 bilhões de arquivos armazenados na soma entre todos os usuários do sistema, ou seja, algumas centenas de milhões de clientes em potencial.

Além disso, o tão sonhado aplicativo do Dropbox para o Windows Phone já está a caminho. Disponível no iOS e Android desde sempre, o sistema ainda não havia dado as caras no sistema operacional da Microsoft, mas isso parece estar prestes a mudar depois da parceria. Uma data ainda não foi divulgada, com a empresa pedindo apenas que os usuários esperem – não muito – pelo lançamento.

Sonhos em que tudo é gratuito

É justamente esse número astronômico que está dando margem para alguma especulação. Não foram revelados os termos do contrato de parceria entre a Microsoft e o Dropbox, nem a quantidade de dinheiro envolvida. Mas já há quem diga que o futuro reserva uma gratuidade do Office 365, mesmo que temporária, para os usuários do sistema de cloud computing.

Já sabemos, por exemplo, que as assinaturas corporativas são uma bela fonte de receitas para a fabricante do Office, enquanto o mesmo segmento, para o usuário final, não é tão significativo assim. A ideia, então, seria aumentar a base de usuários com uma gratuidade, permitindo que todos com contas no Dropbox acessassem o Office não apenas dentro do ambiente da plataforma, mas também fora deles. Mas, por enquanto, isso não passa de especulação.

Acredita-se que a Microsoft promete criar mais parcerias desse tipo no futuro. Para a empresa, trata-se de ouvir aos usuários e mantê-los satisfeito. Portanto, a companhia permanece de olho no que eles estão fazendo e quais ferramentas gostam de usar, além de mensurar de que maneira tais atributos podem ser unidos em prol da produtividade.