Computadores rodando Android: uma realidade cada vez mais próxima

Por Sérgio Oliveira | 30 de Janeiro de 2014 às 06h20

Há alguns anos era praticamente impossível encontrar um computador que não rodasse Windows. Independente da existência de outros sistemas operacionais - como Linux e Mac -, a Microsoft reinava absoluta nos computadores. Mas isso foi há algum tempo. A realidade, hoje, é bem diferente. As vendas do Windows 8 estão estagnadas, fabricantes estão ressuscitando o Windows 7, os Chromebooks estão abocanhando fatias importantes do mercado e agora o Android começa a entrar em cena.

Sistema operacional líder no segmento de dispositivos móveis, o Android vem ensaiando uma estreia nos computadores pessoais há algum tempo e, segundo o ZDNet, quatro grandes companhias respaldam essa ideia: Lenovo, HP, AMD e Intel. Isso sem contar outra companhia que comanda e define os rumos da tecnologia nos tempos de hoje: o Google.

Não é difícil imaginar que há um motivo muito forte para que essas companhias queiram que o Android estreie nas telas maiores presentes em lares e escritórios. O fracasso do Windows 8 e sua aparente dificuldade em conquistar novos clientes tem levado essas empresas a acreditarem que há uma lacuna que pode ser preenchida com o sistema operacional do Google.

Por mais que pareça loucura trazer um sistema operacional desenvolvido especificamente para dispositivos móveis para uma tela maior, há quem acredite que o Android pode ser bem sucedido por dois motivos: ele tem muitos aplicativos e, graças ao advento dos softwares como serviço, não importa onde o sistema rodará. Afinal de contas, a própria Microsoft jogou sua suíte de aplicativos mais conhecida para a nuvem e lançou o Office 365, que pode ser executado diretamente de um navegador qualquer. O Chromebook funciona seguindo esse mesmo paradigma e esse tem sido um fator que vem contribuindo para o seu avanço no mercado. Então porque não funcionaria com o Android?

Analisando o atual cenário onde um grande público ainda utiliza o Windows XP, mas que em breve será deixado desassistido, é possível imaginar que eles podem considerar o Android como uma opção a ser adotada a partir já de 2016. Empresas, no entanto, enxergarão essa realidade mais adiante, mas ainda assim a enxergarão. Até lá, é possível que o Google já tenha fundido o Chrome OS ao Android e feito deles um único sistema operacional capaz de ser executado tanto em dispositivos mobile, quanto em desktops.

Se a Microsoft não conseguir assumir as rédeas e definir, de fato, o que é o Windows 8 daqui para lá, o sistema começará a perder terreno e relevância. Não acabará de uma hora para outra, mas chegará um momento em que será impossível voltar atrás.

Leia também: Dispositivos mobile deixarão computadores para trás em 2014

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!