6 mitos sobre softwares de código aberto

Por William Nascimento | 08.10.2015 às 08:27

Muitos programadores consideram os softwares de código aberto impressionantes devido às diversas possibilidades que isso proporciona. Apesar da crescente popularidade desse tipo de programa, muitos ainda não entendem muitas das características da indústria open source. Assim, é comum nos depararmos com alguns mitos sobre eles.

Algumas pessoas pensam que o software de código aberto irá arruinar a programação. Outros acreditam que o software livre é a única esperança para o futuro da programação. Muitos mitos e inverdades são distribuídos por ambos os extremos, o que torna o discernimento mais difícil para os menos entendidos. Para ajudá-lo a entender mais sobre o mundo open source, abaixo você verá seis mitos sobre os programas de código aberto.

1. Open Source é só para usuários Linux

Open source

A história e natureza do ambiente Linux é rica em softwares de código aberto. Sendo assim, é fácil que pessoas assumam que o open source seja apenas um fenômeno do Linux. E até certo ponto a afirmação é verdadeira: muitos programas de código aberto são feitos com disponibilidade Linux como o principal motivador.

No entanto, se você é um usuário do Windows ou OS X, não precisa se preocupar com a exclusividade do código aberto para o Linux. Ela não existe. Na verdade, há uma boa chance de que alguns de seus programas favoritos sejam open source e você nem saiba. Alguns exemplos são o OpenOffice, VLC, GIMP, Audacity, Pidgin, entre diversos outros. Com isso, podemos concluir que programas de código aberto não são apenas para geeks do Linux, mas para todos.

2. Open source é menos/mais seguro

Open source

A segurança digital é um grande negócio nos dias atuais. Os utilizadores do software livre tendem a afirmar que a segurança é sua aliada. Eles acreditam que o fato de oferecer o código de maneira pública pode acelerar o descobrimento de falhas e erros que podem ser corrigidos rapidamente, caso seja necessário.

Por outro lado, há os que acreditam que tornar o código disponível para todos torna o programa inseguro. Isso porque expõe o funcionamento interno de um programa para olhos maliciosos de hackers e criadores de malware, que exploram as vulnerabilidades do sistema.

A verdade é que os dois lados estão certos, dependendo do contexto. Mas ambos acreditam que os softwares open source enfrentam um conjunto diferente de problemas do que os programas proprietários. Sendo assim, eles não são mais seguros ou menos seguros que outros programas.

3. Faça o que quiser com programas open source

Open source

O conceito de que o código público pode ser utilizado de qualquer maneira é totalmente equivocado. Algumas pessoas acreditam que, se o código é colocado à disposição do público, eles podem ir em frente e utilizá-lo como quiser, mas não é bem assim que funciona. Assim como imagens, vídeos e músicas, os softwares também são protegidos por direitos autorais.

Isso significa que os utilizadores devem obedecer às normas estabelecidas por qualquer licença de código aberto. Há alguns certificados que, na verdade, não permitem que os usuários façam qualquer coisa com o código, mesmo para aqueles que conseguem permissão para comercializar derivados.

4. Grandes empresas evitam o open source

Open source

Muitos dos programas open source são desenvolvidos por profissionais autônomos ou por organizações sem fins lucrativos. Isso leva muitos a crer que as grandes empresas de tecnologia evitam utilizar esse método. Mas isso não é verdade, em especial nos últimos anos.

Tanto a Microsoft como a Apple têm demonstrado que estão dispostas a seguir em frente com o código aberto. No ano passado, a Microsoft disponibilizou o .NET Framework em código aberto, o que gerou uma enorme discussão entre os desenvolvedores. Este ano, a Apple seguiu o mesmo exemplo e liberou sua linguagem de programação Swift em código aberto. Tal ação da Maçã chocou a comunidade de desenvolvedores em todo mundo.

Isso nos mostra que mesmo as duas principais empresas de software estão aderindo ao open source. Com isso, a teoria de que apenas amadores e profissionais independentes escrevem programas de código aberto foi totalmente descartada.

5. Open source é caótico

Open source

Imagine tentar projetar um carro com uma centena de outras pessoas gritando sugestões para você. Certamente você iria ficar perdido e não conseguiria finalizar o projeto. Isso é o que muitas pessoas pensam em relação aos programas de código aberto. Mas o desenvolvimento de um software livre não é caótico como pode parecer.

É claro que muitas pessoas podem contribuir através de suas sugestões. No entanto, suas contribuições são analisadas e aprovadas por aqueles que gerenciam todo o projeto. Se uma proposta de mudança não é adequada ao projeto, ela é descartada. Sendo assim, todo o projeto fica simples e ordenado. Somente quando a liderança do projeto começa a discordar sobre suas visões e direções é que as coisas começam a ficar confusas, o que pode trazer bifurcações.

6. Não tem como ganhar dinheiro com softwares open source

Open source

Só porque o software open source muitas vezes é feito de maneira livre, não significa que os desenvolvedores trabalham de graça. Alguns até fazem isso sem receber nenhum centavo, no entanto há várias maneiras de um programador open source ganhar dinheiro.

Às vezes, um programa é tão útil e fundamental para determinado mercado que uma empresa se interessa em patrocinar os desenvolvedores para que continuem seu trabalho, em uma forma de financiamento de projeto. Em troca, a empresa conta com alguns privilégios que podem variar de acordo com o projeto realizado. Há também uma outra maneira de monetizar um programa open source. É muito comum programadores disponibilizarem o software gratuitamente, mas cobrarem pelo suporte técnico.

Ao desvendar os seis mitos acima, talvez você tenha obtido outra visão em relação aos programas de código aberto. Agora você está pronto para questionar diversas afirmações enganosas presentes na internet. Qual é a sua opinião em relação aos softwares proprietários e aos de código aberto? Lembre-se de que você também pode fazer parte dos que se importam com a qualidade do programa, independentemente de como ele é desenvolvido.

Fonte: http://www.makeuseof.com/tag/6-myths-open-source-software-debunked/