Tatuagem no braço pode interferir no funcionamento do Apple Watch

Por Redação | 29 de Abril de 2015 às 17h51
photo_camera Divulgação
TUDO SOBRE

Apple

Parece que o Apple Watch não foi feito para pessoas muito tatuadas. Poucos dias após o lançamento do smartwatch da Maçã, usuários começaram a relatar nas redes sociais que o relógio perde a conexão e fornece resultados imprecisos de frequência cardíaca quando colocados sobre tatuagens.

O que acontece é que a pigmentação da tinta interfere na capacidade dos sensores, tanto na contagem de batimentos cardíacos quanto para saber se o relógio está mantendo contato com a pele ou não. Isso é muito inconveniente, pois o Apple Watch possui um sistema que solicita um PIN de segurança imediatamente após detectar que o gadget deixou o pulso do seu dono.

O site iMore resolveu realizar alguns testes, e descobriu que cores escuras e mais sólidas (como preto e vermelho) parecem gerar mais problemas para o sensor. Tatuagens com cores mais claras oferecem menos problemas, mas ainda assim interferem na leitura do ritmo cardíaco dos usuários.

PECHINCHAS, CUPONS, COISAS GRÁTIS? Participe do nosso GRUPO DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Apple Watch Tatuagem

Em seu site, a Apple alerta para potenciais problemas com o seu smartwatch, mas não menciona especificamente as tatuagens. A empresa descreve sua tecnologia de leitura da frequência cardíaca da seguinte forma:

"O sangue é vermelho porque reflete a luz vermelha e absorve a luz verde. O Apple Watch usa luzes verdes de LED emparelhadas com fotodiodos sensíveis à luz para detectar a quantidade de sangue que flui do seu pulso em um determinado momento. Quando seu coração bate, o fluxo de sangue em seu pulso – e a absorção de luz verde – é maior. Entre as batidas, ele é menor. Ao piscar as luzes de LED centenas de vezes por segundo, o Apple Watch consegue calcular o número de vezes que o coração bate a cada minuto – a sua frequência cardíaca".

Essa mesma técnica é utilizada em pulseiras fitness, como a Charge HR da Fitbit, e a Microsoft Band. A tinta da tatuagem pode complicar o trabalho desses dispositivos de uma forma que a pigmentação natural da pele humana não faria.

Apple Watch Tatuagem

Se o problema estiver mesmo no LED verde, o Apple Watch não deve ser o único afetado (Imagem: Microsoft Band / The Verge)

Na mesma página onde descreve detalhes técnicos sobre o funcionar do seu sensor de frequência cardíaca, a Apple também diz que "para uma pequena porcentagem de usuários, vários fatores podem tornar impossível obter qualquer leitura da frequência cardíaca". Depois de tantas reclamações circulando pelas redes sociais, é possível que a empresa altere essa página e esclareça que tatuagens fazem parte dessa gama de fatores.

“Eu tenho uma tatuagem no pulso, então eu não posso usar o Apple Watch?”

Não vamos ser tão radicais. O problema ainda está sendo avaliado, e nenhuma informação definitiva sobre o problema foi divulgada. Nesse meio tempo, aqueles que possuem tatuagens no pulso que se estendem até onde normalmente usam um relógio, é indicado realizar um teste antes de comprar o gadget e ver se o desenho vai interferir ou não no seu funcionamento. Lembrando que a Apple possui uma política de troca de 14 dias, o que permite realizar uma série de testes com o smartwatch.

Para aqueles que querem utilizar o Apple Watch mesmo com a interferência das tatuagens, uma opção é desativar o recurso de detecção de pulso do relógio para evitar que ele seja bloqueado pela interferência da tatuagem no sensor.


De qualquer forma, o Apple Watch provavelmente chegará ao Brasil apenas em julho, portanto ainda teremos tempo para ver muitas avaliações em relação a esse assunto antes que ele desembarque por aqui.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.