Swatch anuncia planos de desenvolver sistema operacional para smartwatches

Por Redação | 17 de Março de 2017 às 07h55

Uma das mais importantes fabricantes de relógios do mundo, a Swatch anunciou nesta quinta-feira (16) planos de entrar no mercado de smartwatches com um sistema operacional próprio.

A suíça também revelou sua ambição em colocar um smartwatch próprio no mercado até o final de 2018. Com a marca Tissot, o relógio inteligente já viria equipado com o novo SO e traria algumas melhorias interessantes em relação ao que vemos atualmente no mercado.

Em um evento que aconteceu na sede da Omega, na Suíça, o CEO da Swatch, Nick Hayek, reconheceu que o principal problema dos smartwatches é a autonomia da bateria. Pensando nisso, a empresa está trabalhando na redução das dimensões dos componentes que fazem o gadget funcionar a fim de mantê-lo mais tempo longe da tomada.

"Os wearables têm potencial de se tornar um produto de consumo, mas você tem de pensar em miniaturizá-los e ter um sistema operacional independente", revelou Hayek.

O mercado reagiu bem ao anúncio da fabricante e seus papéis valorizaram 1,6% no fim do dia. Mas, se de um lado a novidade agradou alguns, do outro ela também despertou o ceticismo em outros. O analista da Exane BNP Paribas, Luca Solca, disse não estar convencido de que esse é o melhor a se seguir. "As pessoas que usam um smartwatch esperam poder usar os mesmos aplicativos que têm nos seus smartphones. Um sistema operacional proprietário acabaria com isso", ponderou.

Sobre esse assunto, a Swatch disse que oferecerá todo o apoio necessário para que os desenvolvedores tragam suas soluções para o sistema. Hayek disse que muitos já estão interessados no sistema e mais de 100 pedidos por mais informações já foram feitos à empresa, sendo a maioria deles de empresas menores do Vale do Silício que não querem depender exclusivamente do Android e do iOS.

Com a chegada de um terceiro player nesse segmento do mercado, vai ser interessante ver como Google e Apple vão lidar com a concorrência. E, claro, fica a dúvida: será que o sistema operacional da Swatch vai decolar? Façam suas apostas.

Fonte: Bloomberg