Novo Apple Watch pode realizar ligações sem depender do iPhone

Por Redação | 07 de Agosto de 2017 às 11h00

A Apple pode estar planejando lançar uma nova versão do Apple Watch que permitirá que o dispositivo trabalhe de maneira independente do iPhone para fazer ligações, enviar mensagens e realizar várias outras tarefas. O novo wearable deve ser lançado no final do ano e a expectativa é que a Intel seja a fornecedora dos componentes necessários para que o Watch se conecte às redes LTE.

Para que o modem não prejudique o design do aparelho, o Watch deve vir equipado com um eSIM ao invés de um cartão SIM convencional. De acordo com os rumores, a Intel já está trabalhando no desenvolvimento desses componentes, visto que a Apple decidiu apostar na empresa norte-americana em detrimento da Qualcomm, com a qual está brigando ferrenhamente nos tribunais norte-americanos.

Com uma conexão de internet própria, o relógio inteligente da companhia passaria a ter muito mais autonomia e deixaria o iPhone de lado para realizar tarefas que antes eram limitadas à conexão com o smartphone. Os usuários poderão ouvir músicas, fazer ligações e trocar mensagens através do smartwatch, bem como realizar chamadas em áudio no FaceTime e aproveitar diversos recursos que os desenvolvedores poderão adaptar em seus aplicativos. Com isso, o Apple Watch ganhará muitas novas funcionalidades à medida que os apps façam uso da novidade.

No ano passado, a Apple já havia tornado o seu relógio inteligente mais independente do iPhone com a disponibilização de modelos com um chip GPS. Desse modo, o dispositivo poderia rastrear com maior precisão a distância percorrida pelos usuários sem que eles precisem utilizar seus iPhones. Ainda no ano passado, a empresa planejava o lançamento de modelos com a tecnologia LTE, mas acabou optando por adiar os planos por conta de problemas com a autonomia da bateria.

Nesta semana, Tim Cook, CEO da Apple, afirmou que o smartwatch é o mais vendido "por uma ampla margem" de vantagem sobre os demais concorrentes. As vendas do dispositivo cresceram mais de 50% no terceiro trimestre fiscal, ainda que o aparelho represente uma pequena parte da receita geral da companhia.

Fonte: Bloomberg

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.