ZTE explica como colocou 20 GB de RAM em um celular

ZTE explica como colocou 20 GB de RAM em um celular

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 23 de Julho de 2021 às 13h10
Divulgação/ZTE

Uma tendência curiosa que se estabeleceu recentemente no mercado de celulares é o aumento notável que a capacidade de RAM dos aparelhos vem sofrendo a cada ano, especialmente entre os topos de linha. Se 6 GB eram suficientes para um smartphone high-end há 3 anos, hoje é comum encontrarmos telefones com 12 GB, 16 GB e até 18 GB de memória.

Algumas fabricantes, como a Vivo e a Xiaomi, apostam ainda na tecnologia conhecida como "Memory Fusion", que utiliza parte do armazenamento para expandir a capacidade máxima de RAM. Baseando-se nesse conceito, a ZTE revelou nesta sexta (23) o que chamou de "Memory Fusion Pro", com a promessa de entregar os benefícios da expansão sem perdas de desempenho.

ZTE detalha o Memory Fusion Pro

Conversando com o portal chinês MyDrivers, o diretor do departamento de experiências da ZTE, Lu Qianhao, discutiu as vantagens do novo método desenvolvido pela fabricante. O executivo reforça que a função de utilizar o armazenamento como RAM não é nova, mas causa uma má percepção nos usuários. Segundo ele, há três motivos para isso.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O primeiro é que a velocidade do armazenamento utilizado pelas empresas não é suficiente para entregar uma boa experiência — Qianhao sugere que memórias no padrão UFS 3.x sejam as ideais.

Com armazenamento UFS 3.1, o Memory Fusion Pro garante até 20 GB de RAM sem perda de desempenho (Imagem: Reprodução/MyDrivers)

Fora isso, apenas a capacidade de RAM é alocada, ao invés de todos os processos que envolvem o acesso aos dados, como gerenciamento de processos em segundo plano, o que afeta a performance. Por fim, a capacidade máxima entregue pela expansão não seria grande o suficiente.

Foram nesses pontos que a ZTE agiu para entregar o "Memory Fusion Pro" — além de contar com armazenamento UFS 3.1, o recurso utilizará um novo algoritmo de gerenciamento para aumentar a eficiência, o Lingxi Engine, e entregará um aumento de até 8 GB de RAM, levando um telefone de 12 GB para 20 GB, por exemplo.

Axon 30 será o primeiro com a tecnologia

O executivo também confirmou que o Axon 30, previsto para estrear na próxima terça-feira (27), será o primeiro do mundo com a Memory Fusion Pro, chegando ao total de 20 GB de RAM, como o próprio Qianhao havia sugerido no início do mês. Vale lembrar que o telefone é o segundo do mercado a trazer uma câmera sob o display, com qualidade superior à versão empregada no Axon 20.

O Axon 30 será o primeiro aparelho a adotar a tecnologia Memory Fusion Pro (Imagem: ZTE/Weibo)

Ao que se sabe, o Axon 30 chegará ao mercado equipado com chipset Qualcomm Snapdragon 870, acompanhado de 6 GB, 8 GB ou 12 GB de RAM e 128 GB, 256 GB ou 512 GB de armazenamento. O aparelho trará ainda tela AMOLED de 6,92 polegadas com taxa de atualização 120 Hz, câmera tripla de 64 MP e Android 11, rodando sob a MyOS 11.

Fonte: Gizchina, MyDrivers

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.