Xiaomi deverá lançar seu primeiro smartphone nos EUA em breve

Por Redação | 22 de Agosto de 2016 às 10h29

Uma das fabricantes mais populares de smartphones do mundo, a chinesa Xiaomi está prestes a entrar no mercado norte-americano. A notícia foi dada pelo vice-presidente da empresa Hugo Barra durante uma entrevista à Bloomberg. Barra afirmou que a Xiaomi irá atuar com táticas semelhantes às que têm utilizado para sua expansão em outros mercados, como a Índia, onde tem uma estratégia focada em marketing de mídias sociais.

"Os Estados Unidos são um mercado que nós definitivamente temos em nossa mira", disse Barra. "Vamos atuar com a mídia social, com os canais que nos permitem entrar em contato com a jovem geração que está entusiasmada com a nova tecnologia. Nós definitivamente estamos indo para lá".

O executivo não forneceu qualquer informação referente a data em que a Xiaomi deverá lançar seu primeiro smartphone no mercado norte-americano. A Xiaomi já possui cerca de 1.500 patentes adquiridas da Microsoft nos Estados Unidos. Além disso, a empresa já oferece wearables fitness, fones de ouvido e outros acessórios tecnológicos no país. "Os Estados Unidos têm um mercado muito importante para qualquer marca de eletrônicos de consumo e estilo de vida, certamente também para nós", disse Barra.

A entrada da chinesa no mercado do Tio Sam é um movimento esperado, tendo em vista que o país é um dos principais mercados de smartphones do mundo. A introdução dos aparelhos da fabricante também deverá ajudar a empresa a voltar a registrar bons números de vendas. No segundo trimestre deste ano, os embarques da Xiaomi na China caíram 38% em relação ao mesmo período do ano passado.

O resultado negativo é reflexo da grande concorrência de outras marcas chinesas, como Oppo e Huawei, e a expansão para outros mercados também surge como um efeito colateral disso. De acordo com a IDC, tais empresas têm reforçado sua atuação no mercado chinês, o que deixa a concorrência no mercado de smartphones ainda mais intensa. Ainda não está claro se a Xiaomi pretende realizar uma parceria com operadoras que atuam nos Estados Unidos. Se isso não acontecer, a empresa deverá entrar em um mercado dominado por Samsung e Apple através de vendas independentes em seu site oficial.

Via ZDnet, Bloomberg