WannaCry foi responsável por falhas em fornecedora de processadores para Apple

Por Felipe Demartini | 07 de Agosto de 2018 às 19h18

A Taiwan Semiconductor Manufacturing Co. (TSMC) admitiu nesta terça-feira (7) que o ransomware WannaCry foi o responsável pelos problemas que atingiram suas unidades de fabricação de processadores durante o fim de semana. As atividades na fábrica chegaram até mesmo a ser suspensas por conta da praga que, de acordo com a empresa, atingiu máquinas desatualizadas com o sistema operacional Windows 7, mas que estavam ligadas a sistemas críticos da operação.

Em um encontro com a imprensa realizado na manhã desta terça, em Taiwan, a TSMC admitiu os problemas, mas disse que a falha que permitiu o ataque já foi solucionada. Os problemas teriam começado na manhã de sábado (4), o dia em que o ritmo de produção acabou mais prejudicado. Na tarde de domingo (5), 80% dos sistemas das unidades atingidas já estavam em operação normal, com o retorno completo às atividades acontecendo somente nesta segunda (6).

As informações sobre as origens da infecção, entretanto, não foram dadas com clareza. Falando sobre o assunto, a companhia afirmou que a entrada do WannaCry em seus computadores se deu após a instalação de uma nova ferramenta, com a praga se espalhando rapidamente pela rede e infectando diversos computadores. O número exato de máquinas atingidas não foi revelado, enquanto a empresa deixou claro que informações confidenciais e dados de clientes não foram comprometidos, uma vez que não houve intrusão em seus bancos de dados.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

As suspeitas originais, publicadas pela imprensa internacional nesta segunda, eram de um trabalho interno, com funcionários da própria TSMC sendo os responsáveis pela infecção. A declaração de que a praga foi inserida durante a instalação de um software solidifica ainda mais essa possibilidade, sobre a qual a companhia não comentou, nem mesmo sobre uma possível colaboração com as autoridades em uma investigação.

Por outro lado, a empresa foi bem clara ao afirmar que os problemas em sua linha de montagem durante o final de semana devem afetar na disponibilidade de componentes para parceiros e também nos números da companhia para o atual trimestre. A situação se torna ainda mais complexa quando se leva em conta que a TSMC é a única fabricante de processadores para a Apple, que se aproxima do lançamento de uma nova geração do iPhone.

Especificamente sobre a situação da Maçã, entretanto, nenhum comentário. Falando de maneira geral, o porta-voz da companhia afirmou que os custos adicionais em segurança e os atrasos na entrega de componentes devem gerar uma queda de 3% no faturamento do terceiro trimestre deste ano, com as margens caindo cerca de 1%. A resposta ágil ao incidente, entretanto, deve resultar em uma recuperação igualmente rápida, com os números e ritmo de produção já estando normalizados no relatório do quarto trimestre de 2018.

Os problemas na TSMC também levaram analistas de mercado a falarem em problemas na disponibilização da geração 2018 de iPhones, marcada para chegar às lojas em alguns meses. O impacto deve ser mínimo, na visão de Mark Li, da Sanford C. Bernstein, mas deve ser sentido em algumas lojas cujas remessas já são menores. Dependendo do fluxo de vendas dos aparelhos, é possível que usuários enfrentem esgotamento e filas de espera em alguns varejistas.

Fonte: V3, 9to5 Mac

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.