Tecnologia capta energia desperdiçada pelo celular para alimentar a bateria

Por Redação | 27 de Maio de 2015 às 11h50
photo_camera Divulgação

Mesmo com a evolução alucinante dos dispositivos móveis, um detalhe ainda deixa muito a desejar na grande maioria dos aparelhos: a bateria. As soluções habituais para aumentar a vida útil desse componente envolvem capas gigantes com opções externas de carregamento, algo que pode ser bem inconveniente na hora de carregar o gadget no bolso.

Porém, pesquisadores da Universidade Estadual de Ohio querem mudar esse cenário e para isso eles criaram uma maneira de carregar telefones utilizando sinais de rádio desperdiçados pelo próprio aparelho quando navegamos na web, realizamos chamadas ou enviamos mensagens. Essa nova tecnologia pode ser construída em um pequeno case de celular, sem a necessidade de adicionar muito volume e peso. Em teoria, a novidade poderia aumentar a vida da bateria dos smartphones em até 30%.

O circuito patenteado converte alguns dos sinais de rádio que emanam do aparelho em energia de corrente contínua (CC) e, em seguida, carrega a bateria do telefone. "Quando nós nos comunicamos com uma torre de celular ou roteador Wi-Fi, muita energia vai para o lixo. Nós reciclamos parte dessa energia desperdiçada de volta para a bateria", explica Chi-Chih Chen, professor de pesquisa de engenharia elétrica e informática.

Utilizar sinais de rádio como uma fonte alternativa de energia não é exatamente algo novo. Algumas pessoas já tentaram utilizá-la para alimentar pequenos sensores, mas a versão criada pelos pesquisadores de Ohio tem uma grande diferença.

As técnicas utilizadas anteriormente usavam energia que já estava no ar, o que significava a obtenção de apenas alguns micro ou nano watts de potência, o suficiente apenas para ativar pequenos sensores, mas impossível para carregar smartphones. A nova tecnologia desenvolvida pela universidade agora visa a fonte direta dos sinais de rádio, que é nada mais que o próprio aparelho.

A única limitação dessa invenção é que o retificador só funciona quando o telefone está se comunicando ativamente com torres e roteadores e não quando o usuário está jogando um game offline, por exemplo. Mas, considerando que a navegação na web e as chamadas telefônicas são as atividades que mais drenam bateria, isso pode funcionar bem.

Os inventores já estão trabalhando com uma empresa para azeitar ainda mais a tecnologia e lançar uma campanha no site de financiamento coletivo Kickstarter em junho para validação do mercado e arrecadação de fundos para o lançamento do projeto.

Com informações do Slash Gear
Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.