Smartphone chinês para grã-fino vem com bateria monstruosa de 7.000 mAh

Por Redação | 27 de Dezembro de 2016 às 07h50

Quem nunca viu aqueles smartphones pomposos, cravados com diamantes e outras pedras preciosas feitos para gente rica? Geralmente eles são apenas versões modificadas, com material mais caro, de aparelhos que meros mortais como a gente usa no dia-a-dia. Mas a Gionee tem uma proposta diferente com o M2017, seu mais novo smartphone anunciado nesta semana.

Ao invés de um aparelho ordinário embrulhado em uma carcaça mais cara, o smartphone grã-fino faz inveja não só pelo preço, mas também por suas especificações. E a que mais chama atenção é a bateria, que conta com uma capacidade monstruosa de 7.000 mAh. Tão grande ou maior que uma bateria de tablet, a fabricante garante que ela é capaz de fornecer até 32 horas de conversação, 26 horas contínuas de vídeo e alguns dias de uso moderado do smartphone.

Corpo do M2017 é todo feito em metal e couro para passar um ar luxuoso (Reprodução: Gionee)

Além da longevidade fora da normal de sua bateria, o M2017 vem com um display AMOLED HD de 5,7 polegadas, 6 GB de memória RAM e opção de 128 GB ou 256 GB de armazenamento interno. A câmera frontal é de 8 megapixels, enquanto a parte traseira comporta um sistema de câmeras duplo com sensores de 12 MP e 13 MP e zoom óptico de 2X. O único tropeço do telefono ostensivo é seu processador: um Qualcomm Snapdragon 653, que geralmente é usado em intermediários.

Bateria com capacidade de 7.000 mAh é o principal diferencial do M2017 - algo que a fabricante deixa bem claro nas imagens de divulgação do aparelho (Reprodução: Gionee)

A Gionee deve lançar o M2017 com exclusividade no mercado chinês no próximo dia 6 de janeiro. Por lá, o smartphone deve custar o equivalente a US$ 1.000 na versão de 128 GB e US$ 2.446 na de 256 GB. É um valor até que razoável para os padrões dos telefones da Vertu e da Lamborghini, que geralmente cobram dezenas de milhares de dólares por seus modelos. Mesmo assim, estamos falando de uma compra que está longe de ser trivial e que, no nosso caso, só faz sentido para quem está esbanjando dinheiro por aí afora.

Fonte: Engadget