Senadores americanos exigem explicação: por que Trump usa um Android velho?

Por Redação | 14 de Fevereiro de 2017 às 00h55

Os senadores americanos estão preocupados com a idade do smartphone de Donald Trump e com o que o presidente anda acessando pelo aparelho. Dois democratas responsáveis pelas leis no país querem saber o motivo de Trump estar usando um Android não-tão-seguro para gerenciar comunicações oficiais do governo — tanto que eles colocaram o Departamento de Defesa para averiguar o caso.

Os democratas Tom Carper e Claire McCaskill resolveram citar uma infinidade de notícias e um memorando da Equipe de Preparação para Emergências de Computadores dos EUA em uma carta enviada ao secretário de Defesa James Mattis. No documento, eles pedem quatro coisas: primeiro, a confirmação de que Trump tenha recebido um smartphone "seguro, criptografado" para uso pessoal antes da posse, e caso negativo, que tipo de telefone o presidente está usando desde então.

Carper, aliás, usou o Twitter para expressar sua indignação e anexou a carta para quem quiser ler.

Espero ouvir do Departamento de Defesa as medidas de proteção tomadas a respeito do uso de smartphone pessoal pelo Presidente Trump.

Em segundo lugar, os senadores querem saber que tipo de políticas e proteções a Agência de Defesa de Sistemas de Informação (DISA) alega para liberar que o Android do presidente esteja em pleno uso oficial. Posteriormente, os políticos querem saber se a DISA, o Serviço Secreto e a NSA foram consultados e estão de acordo com o antigo aparelho de Trump.

E, por fim, dada a fama que Trump e sua equipe levam por negar aquilo que foi postado em redes sociais (e deletado posteriormente), Carper e McCaskill querem saber se a DISA já se reuniu com a Adminstração Nacional de Arquivos e Registros para garantir que as "medidas de segurança permitem a preservação de quaisquer registros presidenciais", inclusive aqueles que envolvem um modelo defasado, de uso pessoal do presidente.

Usar um telefone — ao que tudo indica, um Galaxy S3 — desatualizado pode se transformar em um pesadelo governamental, já que com o firmware antigo, seria tecnicamente mais fácil invadir, grampear e interceptar o tráfego de dados no smartphone do presidente. O smartphone não recebe atualizações há quatro anos, tendo ficado estancado no Android 4.3 Jelly Bean desde então. Com base nisso, a menos que Trump decida fazer o upgrade, os democratas vão continuar questionando a presença do Android antigo nas mãos presidenciais.

Fonte: Tom Carper (Twitter)

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.